18 de abril de 2016

Resenha: O Céu Noturno em Minha Mente

Título Original: The Night Sky in My Head
Autor: Sarah Hammond
Editora: Galera Júnior*
ISBN: 978-85-10449-6
Ano: 2016
Páginas: 288
Avaliação: ★★★
Sinopse: Mikey Baxter tem 14 anos, mas muitas coisas o diferenciam dos outros garotos da sua idade. Para começar, o pai está na prisão e a mãe se recusa a falar sobre o assunto. Ele sabe que, de alguma forma, isso está ligado à cicatriz em sua cabeça e ao fato de ele parecer ter mais dificuldade em entender certos assuntos do que os outros. Quando um misterioso assassinato ocorre em sua cidade e Mikey é o primeiro a chegar à cena do crime, ele não sabe o que pensar. O que o levou até ali? Quem teria matado o morador de rua da cidade, que parecia nunca ter feito mal a ninguém? E quem era o homem caipira que estava nos arredores?


Mikey Baxter tem 14 anos e uma vida conturbada: Seu pai está preso (algo que só iramos descobrir o motivo verídico no final da obra) e sua mãe, que evita falar do assunto, o cria com bastante cuidado, principalmente por causa de sua cicatriz em sua cabeça.

Mas essa cicatriz não é uma comum: além de uma certa dificuldade que ele tem de compreender as coisas, ela deu visões (ou lembranças, como flashback) de coisas que nem sempre ele gostaria de ver. Pelo fato de serem memórias de um passado não só dele, Mikey deu o nome de Pra Trás a esse fenômeno, por assim dizer.

"O Pra Trás é minha especialidade: vem como um filme da vida real e me mostra coisas que já aconteceram mesmo que eu não estivesse lá na época. Mas é sempre uma surpresa: nunca sei que parte do Pra Trás virá. Tenho de tomar cuidado e não ir longe demais, porque às vezes há coisas que não quero ver."
Página 13

 Mas o Pra Trás não havia sido tão assustador quanto o assassinato que ocorreu em sua cidade, sendo Mikey a "testemunha" chave para solucionar esse mal.

 A história de O Céu Noturno em Minha Mente tem uma carga de suspense que foi além do esperado, mesmo sendo um livro Juvenil. Se o Pra Trás é confuso e, até certo ponto, não entendemos se aquilo foi real ou parte de uma mente traumatizada por algo, logo a duvida vai se dissolvendo e enfim vamos compreendendo o que ali se passa.

 Entretanto, mesmo aos 14 anos quase 15, Mikey é um tanto imaturo para a sua idade, o que ameniza a carga dramática da obra e transmite um tom de inocência para o livro (e para o personagem).

 O céu noturno está bem nublado em minha mente (desculpe-me o trocadilho, não resisti). Não consegui definir se gostei ou não do livro, não consegui de fato expressar o que eu absorvi da obra, o que acarretou numa dificuldade de escrever essa resenha. Em uns momentos, principalmente no começo, me apeguei bastante a Mikey e seus mistérios. Contudo, a indexação de alguns personagens a história não me agradaram o suficiente, mesmo sendo importantes para o desenvolvimento da mesma.

  O Céu Noturno em Minha Mente é uma história simples, curta e original, mas não me apegou tanto o quanto parecia que ia, o que aparentemente é uma das poucas opiniões "adversas" sobre a obra, das qual já li. Ainda assim, fica a sugestão de leitura. 
*Parceria: Grupo Editorial Record, Selo Galera/Galera Júnior

2 comentários:

  1. Bacana, gostei da proposta e to começando a ver agora esse livro, um seguidor postou no insta e agora sua resenha.
    Apesar da tua confusão de saber se gostou ou não é meu tipo de livro e com certeza vou ler, só tenho medo de me confundir com isso do Prá Trás tbm kkkkkkkkk.

    PS: Capa lindaaa!

    Abs

    http://tediosoc.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Oi Carlos!

    Nossa, finalmente alguém que não gostou tanto assim desse livro! Acho que a sua resenha foi a única que eu li que foi um tanto adversa mesmo. Sei lá, eu senti que essa ingenuidade do Mikey foi forçada demais. Impossível um garoto de 14 anos, mesmo com alguns problemas psicológicos, digamos assim, não enxergasse coisas tão óbvias.

    Beijo!
    http://www.roendolivros.com/

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...