12 de dezembro de 2015

Resenha: A Noite das Bruxas

Título Original: Hallowen'en Party
Autor: Agatha Christie
Ano: 1969
Editora: L&PM Pocket
Páginas: 256
ISBN: 978.85.254.3158-5
Avaliação: ★★★
Sinopse: Era a vez da viúva Rowena Drake ser a anfitriã da tradicional festa de Halloween do vilarejo. Durante os preparativos, Joyce, uma irrequieta menina de treze anos, gaba-se por já ter testemunhado um assassinato. Ninguém lhe dá ouvidos e tudo transcorre bem em meio a brincadeiras do dia das bruxas, até que um crime interrompe a diversão. Hercule Poirot prepara-se para uma noite entediante quando é surpreendido por uma ligação aflita de sua velha amiga e escritora de livros policiais Ariadne Oliver, convicta de que só ele poderia desvendar esse mistério antes que um novo crime aconteça... Publicado em 1969, A noite das bruxas é um romance da maturidade de Agatha Christie e uma das últimas obras escritas pela Rainha do Crime.

 A Noite das Bruxas, mais uma das obras da rainha do crime Agatha Christie, tem como base criminológica a morte da jovem Joyce Reynolds durante uma festa de Halloween. Fatos importantes a relatar sobre os acontecimentos: A cidade sempre foi tranquila e não há muitos registros de crimes brutais assim, a festa continha poucos convidados estranhos (quase nenhum, na verdade) e, para completar, Joyce era reconhecida por sua mania de grandeza e suas mentiras. 

 Naquela noite, durante os preparativos da festa, Joyce contou para os presentes que havia, quando criança, presenciado um assassinato, mas só o compreendeu como um depois que adquiriu maturidade suficiente para entender o que tinha visto. Claro, todos levaram como mais uma brincadeira da garota para chamar atenção de Ariadne Oliver, uma escritora de livros policiais que estava presente no momento.

 Para a resolução do problema, Sra. Oliver resolve pedir ajuda ao sempre astuto Hércule Poirot, o grande detetive criado por Agatha Christie.  

 Este, na minha opinião, é o primeiro livro da Agatha que li em que os excessos de momentos desnecessários aparecem. Hércule Poirot está diferente do habitual. Suas divagações e pensamentos voam além do normal, o que evidenciou esses momentos. 

 A necessidade de um passado para justificar o presente equilibra a estória até certo ponto. A resolução do problema também não foi muito criativa e nem o motivo para ela foi tão impactante quanto esperava. 

"O senhor parece muito perturbado com o passado.
O passado é o pai do presente - afirmou Poirot sentenciosamente."
Capitulo 24

 Não obstante, a marca registrada de Agatha se faz presente: uma história que se faz crescer nos momentos exatos. A inclusão de uma personagem como a Ariadne Oliver foi uma ótima sacada, já que pude observar características da própria autora na personagem. 

 De todo caso, ainda que não seja das melhores obras da rainha do crime, A Noite das Bruxas merece sim ser lida sem compromissos e apreciada principalmente pelos já admiradores da autora. Conheça outras obras dela aqui

3 comentários:

  1. Olá!
    Eu nunca li nada da Agatha, por mais que sempre veja bons comentários sobre seus livros. Não sou muito fã de romance policial, então acabo sempre adiando mais e mais. A historia parece bem legal, gostei da premissa mas acho que nao começaria por esse.

    Beijos
    SIL ~ Estilhaçando Livros

    ResponderExcluir
  2. Li esse livro há muitos anos e já não lembro do desfecho da história. Uma pena que você não tenha achado tão bom quanto outros da Agatha. Eu lembro de ter gostado muito.
    Bejos,
    alemdacontracapa.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. Uma coisa que não me atrai em livro policial é justamente essa "enrolada" um vai e volta pra explicar as coisas, as vezes perde o foco p se encaixar lá no final do livro mas n tenho paciência.

    Mas o diferencial de Agatha são os finais que sempre surpreendem e valem a enrolação da obra toda. Essas capas da L&PM <3

    Abs

    http://tediosoc.blogspot.com

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...