4 de novembro de 2015

Resenha: O Labirinto no Fim do Mundo

Título Original: Il Labirinto ai Confini del Mondo
Autor: Marcello Simoni
Editora: Jangada
Ano: 2015
Páginas: 392
ISBN: 978-85-5539-020-3
Avaliação: ★★★
Sinopse: Em 1229, o rastro de homicídios deixado por um violento cavaleiro acaba forçando o inquisidor Konrad von Marburg a investigar a misteriosa seita dos Luciferianos. Um mestre em medicina expulso da Universidade de Notre-Dame acaba atraindo as suspeitas do inquisidor, mas ele não será o único a cair nas mãos do religioso, ávido por entregar um culpado à justiça divina da Santa Inquisição Romana. O mercador de relíquias Ignazio de Toledo, chega a Nápoles e desperta a desconfiança de von Marburg. Descobrir uma forma de provar sua inocência não lhe será fácil. Ignazio inicia então uma longa e arriscada investigação que o levará a “Corte dos Milagres” de Frederico II, na qual se reúnem algumas das mentes mais brilhantes e esclarecidas da época. Estará o mistério da temível seita escondido entre os muros do palácio imperial? E o que escondem os Luciferianos de tão precioso que compense o sacrifício de tantas vidas?


 Depois de uma sinopse e um Book Trailer tão descritivos, só resta deixar deixar minha opinião mediante ao livro. De toda forma, uma misteriosa seita deixa grandes marcas de homicídios e violência. Diante disso, Konrad von Marburg é convocado para investigar aqueles estranhos acontecimentos.

 A estória de O Labirinto no Fim do Mundo tem um ritmo instigante, desde seu prenuncio à os fatos atuais daquele momento. A religiosidade é a peça chave do livro. O ambiente remete à Europa Medieval e, por isso, a força do Cristianismo/Catolicismo ainda é evidente. Em contrapartida, a magia e o sobrenatural fazem-se presentes no livro. 

 A trama é super bem detalhada. Porém, o excesso de descrição dos diálogos e momentos são o pontos que tornam a leitura lenta e um pouco dispersa. É evidente o conhecimento do autor aprofundado nos cenários, ambientes e temáticas que ele propôs expor no enredo.

"[...]Os homens, desde sempre, insistem em ligar seu destino e sua dimensão moral a um labirinto de figuras grandiosas e inatingíveis. Um labirinto em que cada um de nós, ao menos uma vez na vida, adorou perder-se."
Página 388

 A teia investigativa que Konrad von Marburg traça é um verdadeiro labirinto fazendo jus ao título da obra. E sim, se você está sentindo alguma semelhança com obra de Dan Brown você está certo. É uma linha muito próxima da forma de escrever e do enredo, mas sem imitar o estilo consagrado do outro autor.

 Os personagens tem personalidade (sem redundâncias) forte e discernimento para agir, mas, em sua maioria, não conseguem ser carismáticos, não dando uma apego necessário com eles para se envolver ainda mais na leitura.

 No todo, eu gostei do livro, mas com algumas ressalvas. A obra tem uma boa proposta mas não me encantou tanto. Boa leitura principalmente para quem curte livros como O Símbolo Perdido, Anjos e Demônios e O Código da Vinci , por exemplo.


Parceria: Grupo Editorial Pensamento (Selo Jangada)

3 comentários:

  1. Olá!
    Adorei a sua resenha e a capa do livro. A história me chamou a atenção, mas o fota de ser muito descritivo desanima um pouco :(
    Bjs
    EntreLinhas Fantásticas

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É relativo, varia de pessoas e de livros. Em alguns isso favorece bastante, nesse nem tanto.

      Excluir
  2. Fiquei com muita vontade de ler esse livro. Adoro estórias ambientadas na Europa medieval e gostei bastante do tom de mistério. Anotei na minha lista.
    Ótima resenha, como sempre.

    Abraços,
    Ruh Dias
    perplexidadesilencio.blogspot.com

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...