6 de outubro de 2015

Resenha: Supernova - A Estrela dos Mortos

Série: Supernova, Livro 02
Editora: Novas Páginas (Novo Conceito)
Autor: Renan Carvalho
ISBN: 978-85-8163-791-4
Ano: 2015
Páginas: 480
Avaliação: ★★★★★
Sinopse: Após deixar sua cidade natal, Leran está perdido em busca de uma pessoa que possa ajudar sua irmã Luana a controlar seus poderes. Enquanto foge de caçadores colocados em seu encalço, o arqueiro conhecerá novos lugares e aliados para sua jornada. Ao mesmo tempo, Tlavi, a jovem Estrela da Cura, tenta desvendar os mistérios de um criminoso capaz de erguer as forças das trevas no território pacificado do Reino Central. O caminho desses personagens está ligado pelo destino. Será que poderão lutar juntos para descobrir como vencer os novos inimigos? Conseguirá Luana despertar sua verdadeira força? Como Leran agirá diante da evolução dos poderes da irmã? É o que você vai descobrir em Supernova: A Estrela dos Mortos.




 E a aventura ganha um novo capítulo! Se em O Encantador de Flechas vivemos um enredo cercado sob os muros de Acigam, agora a estória quebra as barreiras e vai mais além e, curiosamente, tem como ponto de partida um dos capítulos "extras" do livro anterior. Dessa vez, o livro que é dividido em partes narradas por personagens distintos, é descrito por Tlavi, Gueth e claro, Leran, o personagem principal da série.

 A história inicia nos apresentando uma nova personagem: Tlavi Hur, a Estrela da Cura. Depois de uma destruição em massa na cidade de Cimérium pela Estrela dos Mortos, Shazp, Tlavi busca uma maneira de derrubar a ascensão do inimigo, nem que para isso ela precise lutar sozinha.

 Do outro lado, Leran Yandel e sua irmã, Luana Yandel, seguem fugindo dos caçadores que os querem capturá-los. Mas o maior dos objetivos é encontrar Quiroon, o único que aparentemente é capaz de ajudar a decifrar os mistérios que rodeiam Luana. Os caminhos são longos e complicados, e eles nem imaginam que a chegada será muito pior do que os "simples" silenciadores de Acigam.

 O terceiro narrador do livro é Gueth Tur, irmão "abandonado" de Tlavi. Desde que os dons de Estrela da garota foi descoberto, ela foi treinada por Ioseth e, por isso, precisou sair de sua cidade e seguir o destino "individualista" que é imposto à uma Estrela. Com isso, Gueth assumiu as rédeas da casa e se tornou um grande lutador, sendo essa a principal fonte de renda para ele e seu pai. Porém, o destino traria enormes derrotas, surpresas e emoções para ele.

"Meu pai dizia que eu era altruísta demais, que me preocupava tanto com os outros que acabava me esquecendo de cuidar de mim mesmo. Não sei até onde ele estava certo, mas acho que aprendi a viver assim por causa das plantas. Nada me alegrava mais do que um jardim bem cuidado. Quando transmitia meu carinho e atenção para as mudas, elas cresciam mais belas e isso me deixava feliz. Para mim, as pessoas são iguais às plantas. Se você as rega com carinho, colhe felicidade."
Página 229

 Eu tive uma das maiores surpresas literárias do ano lendo O Encantador de Flechas, tanto que não consegui desgarrar do livro. Toda aquela adrenalina do primeiro livro se faz presente nesse segundo, mas não é tão sufocante quanto o primeiro. Há muito mais questões "burocráticas" a serem tratadas no segundo livro, principalmente por tratar-se de uma transição importantíssima entre o começo e o fim da trilogia, o que de fato não diminuíram a qualidade da estória.

 Leran se vê em apuros durante quase todo o livro, seja pelos conflitos externos como caçadores ou por fatores internos, como a "rebeldia" de sua irmã Luana e os ciumes dele para com a independência dela cada vez mais eminente ou por novos aliados que ele não consegue confiar tanto. Gueth e Tlavi foram ótimas surpresas. São personagens que levam partes importantes do livro, dividindo a "responsabilidade" de tocar a história com Leran e Luana. Alias, foi uma personagem que levou altos e baixos em minha opinião em relação a ela no livro. Confesso que senti uma falta ENORME de Judra!

"Não existe sucesso sem dor. Não existe vitórias sem perdas.
Para vencer, o que você está disposto a sacrificar?"
Página 362

 Enfim, A Estrela dos Mortos segue a mesma linha do primeiro livro, sem perder seu foco, sem enrolar e conseguiu prender minha como a muito tempo uma série não prendia. Fica a enorme expectativa pro ultimo e decisivo livro da série que virá AINDA em 2017. Trabalha bem ai, Renan!


Série Supernova:
  1. O Encantador de Flechas
  2. A Estrela dos Mortos
  3. O Satélite de Ferro
Parceria: Novo Conceito (Selo Novas Páginas)

2 comentários:

  1. Ei, cara! Tudo numa nice!?
    Eu gostei bastante do seu nome ahaha!! Carlos Magno Imperador dos Francos!! *-*
    É forte!! Amo História Geral, sabe! Por isso essas minhas doideiras ahaha.
    Bem, agora vamos conversar sério sobre a resenha!
    Não sei onde que tinha visto, mas acho que havia lido alguma coisa bem negativa sobre o primeiro livro. A resenha era super negativa mesmo. Uma coisa que eu gosto bastante é: gosto de gostar de livros nacionais! \0/ Gosto de conhecer os universos que nossos autores brasileiros apresentam. E por ver o comentário negativo sobre a obra fiquei bem para baixo e nem pensei em conferir. Na época eu também não lia muita fantasia e acho que isso também ajudou. Mas, depois de ler sua resenha eu fiquei com vontade de conhecer essa obra. Estou numa fase que só leio esse gênero. Nem sei porque não me interessava antes. Gostei dos dois quotes que tu destacou aí.
    Deve ser uma estória envolvente e cheia de ação!!
    Vou acrescentar na estante!!
    Beijin...
    http://piecesofalanagabriela.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Olá! :D
    Acabei de terminar a leitura de A Estrela dos Mortos há cinco minutos e posso dizer: UAU!
    Acho que até me prendeu mais do que o primeiro, acredita?
    E os dois são tão diferentes, mas tão interligados, né?
    Também senti falta da Judra. Ela era uma vaca, mas uma personagem do tipo que a gente ama odiar.
    E a Luana está beeeem chatinha. Sei que ela é uma estrela e lálálá, mas é mimaaaaaaada.
    O último vem só em 2017???
    Poxa, deviam ter lançado então um esse ano, um em 2016 e um em 2017, para não ficar esse vácuo tão grande.
    :)

    Beijoooos

    www.casosacasoselivros.com

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...