15 de julho de 2015

Resenha: A Sábia de Waterloo

Subtítulo: A Batalha Napoleônica Vista Pelos Olhos de Uma Coelha
Título Original: The Sage of Waterloo
Autor: Leona Francombe
Ano: 2015
Editora: Record
Páginas: 240
ISBN: 978-85-01-10398-7
Avaliação: ★★★
Sinopse: A fazenda de Hougoumont, perto de Waterloo, foi palco de uma luta sangrenta entre ingleses e franceses em 17 de junho de 1815. E acabou sendo crucial no resultado da batalha e no destino da Europa.

O que poucos sabem é que alguns dos coelhos que viviam na propriedade testemunharam a batalha, e alguns até sobreviveram a ela. Entre seus descendentes está William, um coelho branco que vive no presente, mas que se interessa muito pelo passado e busca na tataravó sua fonte de conhecimento…

A sábia de Waterloo é um livro sem igual, charmoso e profundo sobre a loucura humana e a sabedoria do mundo natural.



 Nessa obra de Leona Francombe conheceremos um misto de fábula e história que gira em torno da clássica e trágica batalha de Waterloo. Hougoumont é uma cidadezinha onde as forças britânicas enfrentaram o exército de Napoleão na batalha de Waterloo entre 17 e 18 de junho de 1815. Claro, mortes em massa aconteceram naquele local.

 Porém, se as pessoas que viviam ali se assombraram com tamanha barbárie, uma certa população viu tudo de perto: uma população de coelho. Entre eles, a mais duradoura e sábia de todos ainda vive: Dona Lavanda. Pode-se considerá-la uma wikipédia humana. Digo, em forma de coelho. Nada escapa aos olhos e ouvidos sempre atentos dela. Ela é quase um livro que contem todas informações precisas principalmente no que engloba a batalha de Waterloo e seus personagens que fizeram-se presentes ali. Ela até tem uns que admira ou detesta mais que outros.

 Dona Lavanda tem como admirador nato seu neto William, um coelho muito esperto e que herdou algumas características de sua avó. Tudo muda quando William é vendido para uma família que mora não tao longe dali, mas longe o suficiente para fazê-lo sentir-se um "peixe fora d'água" não estando em Hougoumont.

"Os humanos raramente estão satisfeitos com seus lares. Parece que muitos cobiçam casas grandes — castelos até —, ainda que provavelmente pudessem passar muito bem num comodo so com uma porta e uma janela. Alguém ja estudou a relacao de moradia com a felicidade? Eu diria que não. De qualquer forma, já que os humanos sempre acham que maior e mais caro é melhor, imagino que viver num unico comodo traga pouca satisfacao [...]. As pessoas nunca deixam passar uma oportunidade de viver num palácio. Nao importa que voce tenha que dar 16 passos da pia ate a lava-louca ou que meio quilometro se estenda entre o sofa e a sua cama. É sua propriedade, seu reino. Ao que parece, é isso que interessa."
Página 114

 Além deles, o livro apresenta personagens como o desastrado Caillou, o amalucado tio Bumerangue, intelectual Spode e Jonas, um primo distante de William, orgulhoso e impulsivo.

 A Sábia de Waterloo não é uma história qualquer. Não é tão fantasioso quanto aparenta (não levando em consideração o gênero literário da obra) e nem infantil quanto muitos podem imaginar.

 O livro é de desenvolvimento bem fluido, ainda que eu tenha levado uma leitura lenta; Há muitas informações, detalhes e reflexões (os momentos mais incríveis da obra) dos personagens que enchem as páginas e encantam. Ainda assim senti que faltou algo, mesmo tendo curtido a proposta da obra.

 Além das reflexões e pensamentos, se há uma coisa que não se pode reclamar do livro é do seu desfecho impactante e sentimental.

 Creio que a obra seja um livro "ame-o ou deixe-o", ainda que eu tenha ficado no meio termo. Como disse não é uma história qualquer mas que também não me prendeu o suficiente. De todo caso, fica a indicação de leitura.


Parceria: Grupo Editorial Record

3 comentários:

  1. Ei, Carlos Magno!
    O livro parece ser interessante, mas não sei se é o tipo de leitura que me prenderia. Adorei a sua resenha! Achei a capa bem bonita com esses tons coloridos :)
    Abraço

    minhasecretapoesia.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. É curtinho Karen. Vale a pena conferir :)

    ResponderExcluir
  3. A capa é incrível, mas esses livros que tem muita base históricaZZzZZzzzZzZ talvez dê uma chance por ser curto e pela parte fantástica. Fiquei meio confuso com vc em cima do muro HAHAHAH.

    Abs

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...