31 de julho de 2015

[Junho/Julho] Lançamentos Grupo Pensamento


► EDITORA JANGADA


A Odisseia de Tibor Lobato (O Oitavo Vilarejo #01) Gustavo Rosseb
 Depois de perder os pais num terrível incêndio no acampamento cigano onde moravam e passar dois anos num orfanato, Tibor Lobato e sua irmã Sátir são encontrados pela avó e vão morar no seu sítio. Ali fazem amizade com Rurique, um garoto conhecedor das lendas e histórias de assombração do lugar. Durante a quaresma, coisas muito estranhas começam a acontecer na região e seres fantásticos do folclore - como a Mula Sem Cabeça, o Boitatá e a Cuca -, ganham vida e começam a assombrar os habitantes dos Sete Vilarejos. Os três começam a correr perigo quando descobrem segredos que ligam a família dos irmãos a esses seres fantásticos e a um lendário Oitavo Vilarejo. A partir daí inicia-se uma odisseia cheia de magia, que levará os três amigos a reconhecerem e valorizarem virtudes como lealdade, coragem, esperança e amizade.


Origem
J. T. Brannan
Se a humanidade achava que conhecia suas origens, chegou a hora de repensar tudo, porque todas as crenças estão prestes a ser questionadas... A pesquisadora científica Evelyn Edwards e sua equipe descobrem um corpo de 40 mil anos enterrado sob a calota polar da Antártida. Mas, quando começam a extrair o corpo do gelo, o sonho se transforma em um horrível pesadelo quando todos são marcados para a morte por alguém que quer manter enterrado esse segredo. Evelyn mal consegue escapar com vida. Ela pede ajuda a seu ex-marido Matt Adams, antigo membro de uma unidade de elite do governo. Logo eles se veem envolvidos em uma corrida alucinante contra o tempo, que os leva ao Grande Colisor de Hádrons, em Genebra, enquanto tentam desvendar a maior conspiração de todos os tempos, antes que seja tarde demais para a espécie humana.



O Artífice do Tempo (Túneis da Morte #2)
Niel Bushnell
Jack Morrow, de 13 anos de idade, descobre que tem a capacidade natural de viajar no tempo através das Necrovias, passagens interdimensionais que conectam as lápides à data de morte da pessoa enterrada. Desesperado para desvendar o segredo sombrio que cerca seus ancestrais, Jack viaja por elas e descobre um mundo secreto sob as ruas da Londres de 1940. Perseguido pelas Paladinas – versão feminina e fantasmagórica de cavaleiros medievais –, Jack precisa encontrar a mítica espada Durendal, perdida, antes que seja usada para reviver o terrível mestre das Paladinas, Rouland. O futuro de Jack, e de toda a sua família, depende de que ele evite o retorno de Rouland. Mas estará o tempo do seu lado?


29 de julho de 2015

Top 5: Novos Autores Brasileiros


 O cenário da literatura nacional Brasileira está em ascendência (por incrível que pareça). Além de muitas pessoas ingressando no mundo "bookaholic", vários e bons autores estão conseguindo atrair boa parte desse público. Foi pensando nisso que resolvi separar hoje os cinco autores nacionais de auto-nível para apresentar a vocês. Acompanhado de cada um, há o link para resenhas dos respectivos livros de cada um que já resenhei aqui para que vocês apreciem melhor. Eis o mais novo #TopFive do Cantina do Livro:

26 de julho de 2015

Resenha: Em Queda Livre

Título Original: All Fall Down
Série: Segredos Diplomáticos #1 (Embassy Row)
Autor: Ally Carter
Editora: Guarda-Chuva
Ano: 2015
Páginas: 352
ISBN: 978-85-99537-40-4
Avaliação: ★★★★★
Sinopse: Aos dezesseis anos, a protagonista Grace Blakely vê sua vida virar de cabeça para baixo ao se mudar para a casa de seu avô materno, o embaixador americano na capital do país fictício de Adria. Incapaz de aceitar as circunstâncias misteriosas que cercaram a morte de sua mãe três anos antes, ela tentará descobrir os segredos do seu passado e encontrar respostas para as dúvidas que a assombram. Contando somente com a ajuda de seus novos amigos, filhos dos embaixadores das outras nações, ela se lança na busca por um assassino que ninguém mais acredita ser real, ao mesmo tempo em que se esforça para seguir os rígidos protocolos que regem a vida diplomática. Não será fácil para Grace se adaptar a esse novo mundo, especialmente quando ela começa a se apaixonar pelo único garoto proibido para ela: o melhor amigo de seu irmão mais velho. Grace fará de tudo para ser a boa menina que todos esperam que ela seja, mas os problemas parecem sempre encontrá-la, e qualquer deslize cometido na Ala das Embaixadas poderá deflagrar uma crise internacional, colocando sua vida e o destino das nações mais poderosas do mundo em risco.

 Em seu primeiro livro Young Adult (YA), a Editora Guarda-Chuva conseguiu acertar um gol de placa com o lançamento de Segredos Diplomáticos (volume 1). 

 Grace Blakely viu sua mãe morrer. Há três anos todos tem uma certeza: Ela morreu em um incêndio acidental. Para Grace, o Homem da Cicatriz a assassinou. Ela garante a todos o que viu, porém até mesmo a certidão de óbito de Caroline (sua mãe) diz o contrario. Ela tem certeza que não está louca. Será?

 Agora aos 16 anos, com a viagem de seu pai a trabalho para o Exercito, ela precisa se mudar para morar com seu avô, o embaixador dos EUA na capital da Adria. Aquela embaixada é quase uma bomba relógio e piora ainda mais com a chegada da inquieta Grace. As regras são explicitas, principalmente a de não "invadir" outro pais sem ser convidado. Imagina a crise politica que poderia ser deflagrada caso um norte-americano, seja lá quem fosse (oi, Grace!) aparecesse, de repente, na sala de estar da embaixada Iraniana ou Russa. Pois é.

"Nós  temos que respeitar nosso país anfitrião e temos que respeitar nossos vizinhos. [...] Às vezes, os muros que nos separam dos vizinhos são tudo o que existe entre o nosso país e a guerra."
Página 16

 Inicialmente, o livro aborda muito mais na questão psicológica do que na misteriosa propriamente dita. Com a introdução de personagens ao contexto, como Noah, Megan e Rosie, que o mistério em si aflora. Eles decidem embarcar de cabeça na "loucura" de Grace perseguindo aquele que, supostamente é o culpado da garota não ser levada mais a sério por ninguém desde a morte de sua mãe. 

 Alexei é outro personagem importante no livro. Ele se torna o ponto de equilíbrio da garota, mesmo que ele seja "obrigado" a ser inimigo dela (por ser Russo). O rapaz foi designado pelo irmão de Grace (Jamie) a tomar conta dela para que não cometa nenhuma grande infração. Aqui já é possível ver um climinha gerando no ar. Nada explicito. 

 Há vários aspectos que me conquistaram na leitura do livro, mas o que mais achei de grande valor na história é que em momento nenhum a autora forçou algo surreal ou ilógico. Tudo acontece com tanta naturalidade que chega ser sofrido. Sério, não queria estar na pele de Grace, vivendo nessa tortura de não saber se o que ela viu foi verdade ou apenas sua imaginação tentando não aceitar a morte de sua amada mãe.

 Assim como ela, todos os personagens desempenharam papel importante no desenvolvimento do roteiro, não sendo apenas mais alguns na multidão. Ally Carter fez valer a participação de cada um no livro.

 O final, se não é tão surpreendente, consegue-se manter no nível de todo livro que, ao findar, deixa aquele gostinho de quero mais. Fico agora na expectativa do livro #2 da série (See How They Run, em seu titulo original) que, ao que tudo indica, será lançado em 2016 (la fora). Cinco estrelas e minha indicação de leitura para Em Queda Livre.


20 de julho de 2015

Resenha: The Beatles

Subtítulo: A Única Biografia Autorizada
Título Original: The Beatles
Autor: Hunter Davies
Ano: 2015
Editora: BestSeller
Páginas: 602
ISBN: 978-85-7684-754-0
Avaliação: ★★★★★
Sinopse: A única biografia autorizada da banda que definiu gerações. No auge da Beatlemania, Hunter Davies foi o único biógrafo autorizado a acompanhar John, Paul, George e Ringo junto aos amigos, colegas e familiares. Do primeiro contato com a música até a relação com o empresário Brian Epstein, as histórias de infância e adolescência dos integrantes da maior banda de todos os tempos são reveladas, assim como o processo criativo de seus álbuns. Ao longo de 18 meses, Davies reuniu um material íntimo e exclusivo — incluindo um sensacional encarte de fotos —, que se tornou referência a outros autores e admiradores. Repleta de detalhes e entrevistas, esta biografia traz também as histórias completas do Fab Four e uma letra de música escrita por George Harrison descoberta recentemente. O profundo conhecimento de Davies sobre a história do grupo e seu apelo duradouro fazem desta a biografia definitiva dos Beatles, a única produzida com a colaboração e o incentivo dos próprios músicos. 

 "With a Little Help From My Friends", eis que surge a primeira resenha de uma biografia (de fato) aqui no blog. Nada mais justo do que falar de uma das bandas que marcaram o início minha paixão pela música de qualidade: Os (The) Beatles. A obra é uma reunião de pesquisas intensas de Hunter Davies aliada à sua experiencia ao lado daquele grupo que se tornou uma das maiores bandas de todos os tempos. John Lennon, Paul McCartney, George Harrison e Ringo Starr.

 O livro foi dividido em partes que se distinguem, especificadas em cada etapa da vida, tanto da banda quanto do quarteto individualmente:

 Na primeira conhecemos de fato a base da árvore genealógica de cada um dos integrantes da banda, sua infância e a forma como eles se conheceram. Confesso que aqui viram boas surpresas: Não sabia o quanto John Lennon foi "rebelde" principalmente no que diz respeito aos estudos. Aqui, também sabemos como foi aconteceu a "primeira formação" dos Beatles (a banda skiffle The Quarrymen) e a chegada de Ringo Starr, que alavancou significativamente o grupo.

 Na segunda vivemos a Beatlemania em sua essência: desde a loucura dos fãs britânicos ao auge que foi a conquista do território norte-americano. Conhecemos pessoas dos bastidores que, além do quarteto, fizeram a banda torna-se o que ainda é até hoje, como Niel Aspinall e Brian Epstein. Essa parte da história acontece rápida demais. Acredito que o próprio autor não tenha ainda, naquele momento, entendido de fato o que era aquele fenômeno. De desconhecidos, Os Beatles estouraram de forma tão assustadora que permaneceram meses e meses em primeiro lugar (isolado) nas paradas musicais britânicas e, futuramente, dos EUA. Polêmicos mas carismáticos, não havia quem não se rendesse ao talento do grupo.

"Nunca tenho consciência de que sou um Beatle. Nunca. Sou apenas eu mesmo. Não sou famoso. São as pessoas que fazem isso. Até elas virem até você e reagirem, você esquece."
John Lennon, Página 458

 Na terceira é quando a banda já está consolidada e no auge a muito mais tempo do que eles acreditavam. A inquietude dos integrantes aliada ao "cansaço" dos palcos faz com que aos poucos a banda se dissolva. Nessa parte não adentramos tanto, já que o livro foi finalizado antes do "fim" (desculpem a redundância) dos Beatles. Foi uma preocupação do Hunter Davies, deixar sua biografia escrita exatamente como foi feita a anos atras. Ao final, ele deixa algumas ressalvas no posfácio, como o trágico assassinato de Jonh Lennon e as vidas dos outros integrantes que seguiram seus rumos individualmente.
 De fato essa foi uma literatura maravilhosa. Sei que alguns fatos devem ter sido mexidos aqui, ocultados ali, mas não tem como deixar de apreciar esse livro. Deu pra sentir na pele o que Hunter Davies sentiu estando ao lado daquele fenômeno musical. Uma leitura essencial para todos fãs ou quem curte a banda.

Parceria: Grupo Editorial Record (Selo BestSeller)

15 de julho de 2015

Resenha: A Sábia de Waterloo

Subtítulo: A Batalha Napoleônica Vista Pelos Olhos de Uma Coelha
Título Original: The Sage of Waterloo
Autor: Leona Francombe
Ano: 2015
Editora: Record
Páginas: 240
ISBN: 978-85-01-10398-7
Avaliação: ★★★
Sinopse: A fazenda de Hougoumont, perto de Waterloo, foi palco de uma luta sangrenta entre ingleses e franceses em 17 de junho de 1815. E acabou sendo crucial no resultado da batalha e no destino da Europa.

O que poucos sabem é que alguns dos coelhos que viviam na propriedade testemunharam a batalha, e alguns até sobreviveram a ela. Entre seus descendentes está William, um coelho branco que vive no presente, mas que se interessa muito pelo passado e busca na tataravó sua fonte de conhecimento…

A sábia de Waterloo é um livro sem igual, charmoso e profundo sobre a loucura humana e a sabedoria do mundo natural.



 Nessa obra de Leona Francombe conheceremos um misto de fábula e história que gira em torno da clássica e trágica batalha de Waterloo. Hougoumont é uma cidadezinha onde as forças britânicas enfrentaram o exército de Napoleão na batalha de Waterloo entre 17 e 18 de junho de 1815. Claro, mortes em massa aconteceram naquele local.

 Porém, se as pessoas que viviam ali se assombraram com tamanha barbárie, uma certa população viu tudo de perto: uma população de coelho. Entre eles, a mais duradoura e sábia de todos ainda vive: Dona Lavanda. Pode-se considerá-la uma wikipédia humana. Digo, em forma de coelho. Nada escapa aos olhos e ouvidos sempre atentos dela. Ela é quase um livro que contem todas informações precisas principalmente no que engloba a batalha de Waterloo e seus personagens que fizeram-se presentes ali. Ela até tem uns que admira ou detesta mais que outros.

 Dona Lavanda tem como admirador nato seu neto William, um coelho muito esperto e que herdou algumas características de sua avó. Tudo muda quando William é vendido para uma família que mora não tao longe dali, mas longe o suficiente para fazê-lo sentir-se um "peixe fora d'água" não estando em Hougoumont.

"Os humanos raramente estão satisfeitos com seus lares. Parece que muitos cobiçam casas grandes — castelos até —, ainda que provavelmente pudessem passar muito bem num comodo so com uma porta e uma janela. Alguém ja estudou a relacao de moradia com a felicidade? Eu diria que não. De qualquer forma, já que os humanos sempre acham que maior e mais caro é melhor, imagino que viver num unico comodo traga pouca satisfacao [...]. As pessoas nunca deixam passar uma oportunidade de viver num palácio. Nao importa que voce tenha que dar 16 passos da pia ate a lava-louca ou que meio quilometro se estenda entre o sofa e a sua cama. É sua propriedade, seu reino. Ao que parece, é isso que interessa."
Página 114

 Além deles, o livro apresenta personagens como o desastrado Caillou, o amalucado tio Bumerangue, intelectual Spode e Jonas, um primo distante de William, orgulhoso e impulsivo.

 A Sábia de Waterloo não é uma história qualquer. Não é tão fantasioso quanto aparenta (não levando em consideração o gênero literário da obra) e nem infantil quanto muitos podem imaginar.

 O livro é de desenvolvimento bem fluido, ainda que eu tenha levado uma leitura lenta; Há muitas informações, detalhes e reflexões (os momentos mais incríveis da obra) dos personagens que enchem as páginas e encantam. Ainda assim senti que faltou algo, mesmo tendo curtido a proposta da obra.

 Além das reflexões e pensamentos, se há uma coisa que não se pode reclamar do livro é do seu desfecho impactante e sentimental.

 Creio que a obra seja um livro "ame-o ou deixe-o", ainda que eu tenha ficado no meio termo. Como disse não é uma história qualquer mas que também não me prendeu o suficiente. De todo caso, fica a indicação de leitura.


Parceria: Grupo Editorial Record

13 de julho de 2015

3 Anos de Cantina do Livro + Resultado da Promoção


 Eita que o tempo passa rápido que não é brincadeira. Há exatos 3 anos ia ao ar a primeira postagem do blog (de nome curioso, engraçado e entre outros, como foi dito) Cantina do Livro [leiam a primeira postagem de apresentação aqui]. 

 De lá até cá foram 122 resenhas [todas elas aqui], muitas horas e dias quebrando cabeça para divulgar e criar postagens pro blog, inúmeros novos livros e autores conhecidos e o melhor, pessoas que entendem tão bem quanto eu o que é respirar leitura.

 Agradeço a todos os autores que já tiveram sua contribuição (direta ou indiretamente) aqui, a todas editoras que já depositaram a confiança no blog (Grupo Record, Novo Conceito, Grupo Pensamento, Boitempo, Melhoramentos, Guarda-Chuva e Giz Editorial) e claro, VOCÊS leitores que visitam, lêem e comentam no blog. Vocês são parte disso!

 A batalha continua!

11 de julho de 2015

Wishlist #10


 Todo leitor tem aquela lista de desejos literário que não para de crescer nunca e comigo não seria diferente. Eis o motivo que faz o "Whislist" numero 10 aparecer aqui no blog. Para quem ainda não sabe, o Whislist (como o nome já pressupõe em inglês) consiste em apresentar 5 livros que encabeçam a minha lista de desejados. As outras listas podem ser conferidas aqui

Eis meus escolhidos:

5 de julho de 2015

Resenha: A Lista

Título Original: One Hundred Names
Autor: Cecelia Ahern
Ano: 2015
Editora: Novo Conceito
Páginas: 384
ISBN: 978-85-8163-683-2
Avaliação: ★★★
Sinopse: Kitty Logan tem 32 anos e aos poucos está perdendo tudo o que conquistou: sua carreira está arruinada; seu namorado a deixou sem um motivo aparente; seu melhor amigo está decepcionado com ela; e o principal: sua confidente e mentora está gravemente doente. Antes de morrer, Constance deixa um mistério nas mãos de Kitty que pode ser a chave para sua mudança de vida: uma relação de nomes de pessoas desconhecidas. É com base neles que Kitty deverá escrever a melhor matéria de sua carreira. Quando começa a ouvir o que aquelas pessoas têm a dizer, Kitty aos poucos descobre as conexões entre suas histórias de vida e compreende por que foi escolhida para dar voz a elas.
Skoob
Site


 Kitty Logan está vendo sua vida ruir: Seu namorado a largou e seu amigo está magoado com ela. As coisas começaram a piorar para ela depois de uma reportagem feita por ela na TV na qual ela afirmava que um professor era pedófilo e, além disso, uma das alunas estava grávida dele. Tudo não passava de uma farsa que acabou tanto com a vida direita e normal do professor quanto com a carreira de Kitty.

 A única pessoa que talvez ainda confiasse em sua capacidade profissional é Constance, dona da revista Etecetera mas que está muito doente. Antes de partir dessa vida, Constance deixa para Kitty um material que poderia ajuda-la a reescrever sua vida e carreira: uma lista com 100 nomes. Ninguém sabe do que se trata, quem são aquelas pessoas ali representadas e mais, o que Constance pretendia escrever. Eis a missão dela.

 Kitty começa a correr atrás de cada uma daquelas pessoas daquela lista. É quase como procurar uma agulha num milharal. O prazo dela é curto, a cobrança é enorme sobre suas costas, os patrocinadores da revista exigem que ela seja demitida/afastada e ela mesma não se sente capaz de cumprir sua missão. Talvez o fato de Constance ter confiado sua matéria que ela trabalhava antes da morte para Kitty seja o motivo que ainda a impulsiona a seguir adiante.

"Todo indivíduo em qualquer parte do mundo tem uma história para contar. Talvez pensemos que somos pessoas comuns, que nossa vida é entediante porque não estamos fazendo nada de extraordinário nem estampando as capas dos jornais, tampouco suas manchetes, nem ganhamos prêmios memoráveis. Mas a verdade é que todos nós fazemos coisas fascinantes, admiráveis e das quais deveríamos sentir orgulho. Todos os dias as pessoas fazem coisas que não são comemoradas. Coisas que deveriam ser estampadas nos jornais. Os heróis anônimos, as pessoas que não se consideram heroínas porque estão fazendo simplesmente o que acreditam que têm de ser feito em sua vida."
Página 373

 O livro, apesar de prender a atenção e despertar a curiosidade do leitor, poderia ser mais impactante. Achei que em alguns momentos faltou folego para a trama, na qual a autora precisou se jogar de corpo e alma no rio que ela mesma criou para resgatar a obra. Ou seja, ela conseguiu tirar proveito até mesmo dos pontos "ruins" da obra. Ponto para a autora.

 Falando nela, esse é o primeiro livro da Cecelia Ahern que decidir ler, até pelo fato da obra não focar em um romance propriamente dito, mas por decair pro lado dramático da literatura. O suspense (no sentido misterioso da palavra) também faz valer a leitura.

 Ainda que o livro não tenha sido tão bom quanto eu esperava que fosse (não é ruim, entendam) ele consegue prender na leitura. Você sente a necessidade de acompanhar de perto Kitty nessa missão quase impossível, sofrendo e comemorando com ela a cada avanço. Outra coisa que vale ser ressaltada: a boa relação que eu consegui sentir com a personagem central. Da vontade de ajudar ela de alguma forma por que... que sofrimento!!!

 No contexto geral, apesar de altos e baixos, A Lista é um bom livro e que, provavelmente vá agradar muito mais os leitores do que desagradar. Fica a dica de leitura!



Parceria: Grupo Editorial Novo Conceito

2 de julho de 2015

Caixa do Correio #03 - Junho


Fala pessoal!

 Julho chegou e é hora de fazer o balanço do mês anterior. Para isso, irei ressuscitar uma coluna a tempos esquecida no blog, que é a Caixa do Correio. Como o nome já supõe, irei apresentar todos os livros (e quadrinhos) que apareceram na minha estante no mês anterior a postagem, o que quer dizer que esse tipo de post será feito agora regularmente a cada primeira semana do mês.

 Sem mais delongas, as novidades:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...