3 de março de 2015

Resenha: Fique Onde Está e Então Corra

Título Original: Stay Where You Are and Then Leave
Autor: John Boyne
Editora: Seguinte
ISBN: 978-85-438-0046-2
Ano: 2013
Número de páginas: 224
Avaliação: ★★★★
Sinopse: Em meio às tragédias da Primeira Guerra Mundial, o amor é a única arma de um garoto para curar seu pai. Alfie Summerfield nunca se esqueceu de seu aniversário de cinco anos. Quase nenhum amigo dele pôde ir à festa, e os adultos pareciam preocupados — enquanto alguns tentavam se convencer de que tudo estaria resolvido antes do Natal, sua avó não parava de repetir que eles estavam todos perdidos. Alfie ainda não entendia direito o que estava acontecendo, mas a Primeira Guerra Mundial tinha acabado de começar. Seu pai logo se alistou para o combate, e depois de quatro longos anos Alfie já não recebia mais notícias de seu paradeiro. Até que um dia o garoto descobre uma pista indicando que talvez o pai estivesse mais perto do que ele imaginava. Determinado, Alfie mobilizará todas suas forças para trazê-lo de volta para casa.


 Em mais uma história com carga dramática e com ambientação pesada, John Boyne nos apresenta Fique Onde Está e Então Corra. Dessa vez conhecemos Alfie Summerfield, um garoto que completava cinco anos de idade quando a Primeira grande Guerra Mundial em 28 de Julho de 1914. Seu aniversário foi "comemorado" discretamente. Dias depois, seu pai iria se alistar para o exército Inglês e partir para o combate, deixando Alfie e sua mãe com as mãos atadas (e o coração nelas).

 Quatro anos se passaram e Alfie já não mais recebia noticias do seu pai George Summerfield. Há proposito, ele já desacreditava na vivencia do seu velho. Uma das características cômicas de Alfie era isso, não saber distinguir uma idade aproximada para os adultos - pessoas com 25 anos ele imaginava ter 60 (todos eram idosos para ele, por assim dizer). Era um dos motivos que ele acreditava que o Sr. Janácek (um húngaro que se mudou para Londres e pai de sua melhor amiga, Kalena) iria aposentar-se logo, abrindo assim uma oportunidade breve para o garoto trabalhar na sua loja de doces.

"— Se Praga é tão maravilhosa — ele perguntou —, então por que o senhor se mudou para Londres?

O sr. Janácek abriu um imenso sorriso e ele pareceu mais feliz do que todas as outras vezes em que Alfie o tinha visto.

— Pela melhor razão do mundo — ele explicou. — Por amor."

 A mãe do garoto, Margie Summerfield precisou trabalhar triplicado para conseguir manter o que restou de sua família. Enquanto que, escondido, Alfie começa a se aventurar em um "emprego" que ele mesmo propiciou para si. E foi numa dessas aventuras que ele voltou a acreditar que seu pai ainda não estava morto. Ele iria mover montanhas para correr atras de seu velho.

 A história ainda que simplória é SENSACIONAL! John Boyne consegue mais uma vez tocar fundo com um enredo que relata o caos interior e exterior capaz de ser causado por uma guerra. Dessa vez o autor transmitiu as sensações causadas pelo lado inglês/britânico da guerra. Os personagens são de personalidade única, dando corpo ao enredo. Cada um possui sua singularidade e expressividade, além de sua devida importância para o decorrer da obra.

 Alfie era um garoto comum como todo outro, com seus sonhos, atitudes questionáveis/engraçadas e, acima de tudo feliz. Tudo isso é deixado bem claro em "flashbacks" do garoto no decorrer da obra. Hoje ele sente nos ombros o peso da responsabilidade, mas sem perder a essência de criança, algo que o autor consegue de uma forma singular deixar em evidencia, apesar dos pesares.

 Ao chegar no final, sente-se aquele gostinho de quero mais. Como um todo, o livro é de fácil leitura e entendimento, altamente reflexivo e indicado a todos que procuram um drama no estilo Jonh Boyne de ser. De 0 à 10, nota 8,5 para ele!

2 comentários:

  1. Carlos, estou DOIDA para ler esse livro. Boyne é o tipo e autor que sabe sensibilizar/tocar por meio da simplicidade. Fiquei muito mexida com suas palavras, que me deu ainda mais fôlego para encarar essa trama. Acho que irei me emocionar...

    Abraços,
    http://universoliterario.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Quero ler esse livro! Amei a sua resenha!
    Uma das minhas metas de 2015 é ler mais livros do John Boyne. Depois que li "O Menino do Pijama Listrado" fiquei interessada na escrita dele.
    Abraço

    minhasecretapoesia.blogspot.com

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...