30 de janeiro de 2015

Resenha: Maze Runner - Correr ou Morrer

Título Original: The Maze Runner
Série: Maze Runner, Volume 1
Editora: V&R (Vergara & Riba)
Autor: James Dashner
ISBN: 978-85-7683-247-8
Ano da Edição: 2010
Número de páginas: 426
Avaliação: ★★★★★
Sinopse: Ao acordar dentro de um escuro elevador em movimento, a única coisa que Thomas consegue lembrar é de seu nome. Sua memória está completamente apagada. Mas ele não está sozinho. Quando a caixa metálica chega a seu destino e as portas se abrem, Thomas se vê rodeado por garotos que o acolhem e o apresentam à Clareira, um espaço aberto cercado por muros gigantescos. Assim como Thomas, nenhum deles sabe como foi parar ali, nem por quê. Sabem apenas que todas as manhãs as portas de pedra do Labirinto que os cerca se abrem, e, à noite, se fecham. E que a cada trinta dias um novo garoto é entregue pelo elevador. Porém, um fato altera de forma radical a rotina do lugar - chega uma garota, a primeira enviada à Clareira. E mais surpreendente ainda é a mensagem que ela traz consigo. Thomas será mais importante do que imagina, mas para isso terá de descobrir os sombrios segredos guardados em sua mente e correr, correr muito. 

 Ele acordou no breu de um elevador em movimento. Em sua memória, apenas o seu nome: Thomas. O elevador o levaria para a Clareira, um lugar sombrio e repleto de outros adolescentes que foram enviados para lá da mesma maneira que ele estava sendo, todos eles sem lembranças e/ou identidade. A cada mês, um novo membro era enviado para a clareira, 

 Em meio aquela tormenta, a revelação de um labirinto que poderia levá-los a sair daquela "jaula". Mas obviamente que nada seria tão fácil: Apenas os corredores tinham autorização para explorar o labirinto. Lá, mais mistérios: siglas estranhas de uma tal CRUEL, movimentações nas estruturas do lugar e o pior medo de todos: Os verdugos, seres capazes de transmitir dor, sofrimento e alucinações, através de sua ferroada. Fenômenos estranhos aconteciam com os que eram picados pelo "bicho", algo que foi denominado pelos clareanos de Transformação. 

 Através dessa transformação, os infectados podiam ver flashs (reais ou não?) do período pré-clareira. É devido a isso que Gally, um dos clareanos, não confia nada em Thomas (desde sua chegada e acontecimentos que vieram após o garoto "pousar" ali), tornando-se seu "inimigo" intimo. 
“Não temos tempo para explicar - falou, a voz tão tensa quanto o rosto. - Apenas sigam-me e corram como se a sua vida dependesse disso. Porque depende.”
Página 411
 A aventura é alucinante. Confesso que havia um receio de minha parte para com o livro, pensando ser um "plong" qualquer (entendedores entenderão) e até por isso custei a lê-lo, mas logo o preconceito foi desfeito nas primeiras páginas. Dashner conseguiu criar uma "nova sociedade" com jovens que eram feitos de fantoche por alguma entidade maior, obrigando-os a trabalhar, pensar, conviver e agir em conjunto. O objetivo era claro mas obscuro: não tratava-se de apenas achar uma saída de uma jaula através de um labirinto. Algo maior era planejado e estava sendo executado em cima de todos eles, algo que só com o fluir das páginas é visível. 

 Thomas não é mais do mesmo, possui personalidade forte e um espirito de liderança que deverá ser explorado nas obras seguintes ao volume 1 de Maze Runner mas que já é evidente nesse livro. Suas decisões foram de extrema importância para a resolução da obra, não desprezando, claro, os outros personagens ali criados, desde o gorducho Chuck ao líder do grupo Alby, passando por personagens não menos importantes como Newt, BenMinho e uma nova integrante, Teresa - esta, a única garota do grupo, traria consigo grandes segredos que mudariam tudo ali na Clareira. "Ela é a última". "Tudo vai mudar". Olho nela!


 Obviamente, Maze Runner conseguiria prender minha atenção. Seu enredo é eletrizante e sua estória promete muito nos volumes seguintes. Em momento algum o livro cai em monotonia ou perde o foco, logo, não fica chato em nenhum momento. O seu desfecho criou uma ânsia louca de ler logo a continuação e saber onde vai parar aquilo tudo. Obra mais que indicada a todos que curtem um misto de aventura, ficção e mistério.

Série Maze Runner:
  1. Correr ou Morrer
  2. Prova de Fogo
  3. A Cura Mortal
     0.5. Ordem de Extermínio

27 de janeiro de 2015

Parceria: Grupo Editorial Record

Olá pessoas!

 Depois de uma boa sequencia de resenhas, hoje venho anunciar uma das maiores conquistas do blog: parceria com o Grupo Editorial Record que não nego, é minha editora favorita. [Confira todos selecionados aqui] Logo, não preciso dizer o quanto estou feliz pela conquista. Desde já agradeço a todos que escolheram o Cantina do Livro para a parceria. MUITO gratificante, mesmo. Para quem ainda não conhece o GER, deixarei um breve resumo sobre a editora e algumas resenhas de livros que já fiz sobre a mesma logo abaixo. 

 Por tanto, aguardem boas novidades que o Cantina do Livro e a Editorial Record trarão para vocês leitores. 

SOBRE O GRUPO EDITORIAL RECORD
 Uma empresa 100% nacional: o maior conglomerado editorial da América Latina fala português. Líder no segmento dos não-didáticos, o Grupo Editorial Record mantém a posição apostando em qualidade e diversidade. Desde 1942, quando foi fundada por Alfredo Machado e Décio Abreu como uma distribuidora de quadrinhos e outros serviços de imprensa, conserva a vocação de difundir informação, conhecimento, cultura e entretenimento literário.

 Com perfis diferenciados — Record, Verus, Bertrand Brasil, Best Seller, Best Bolso, Best Business, José Olympio, Civilização Brasileira, Paz e Terra — o objetivo é sempre trazer o que há de melhor para o leitor brasileiro. 

 De seu parque gráfico, composto pelo Sistema Poligráfico Cameron, um moderno equipamento de impressão, único no continente, saem até 100 livros de 200 páginas por minuto. Ficção; narrativas históricas e científicas; ensaios culturais, sociológicos, literários e filosófico; reportagens; romances policiais e de suspense, literatura feminina e quadrinhos fazem parte do variado catálogo do grupo, hoje com mais de 6 mil títulos.

23 de janeiro de 2015

Resenha: Para Onde Ela Foi

Título Original: Where She Went
Editora: Novo Conceito
Autor: Gayle Forman
ISBN: 9788581635675
Ano: 2014
Número de páginas: 219
Avaliação: ★★
Sinopse: Meu primeiro impulso não é agarrá-la nem beijá-la. Eu só quero tocar sua bochecha, ainda corada pela apresentação desta noite. Eu quero atravessar o espaço que nos separa, medido em passos – não em milhas, não em continentes, não em anos –, e acariciar seu rosto com um dedo calejado. Mas eu não posso tocá-la. Esse é um privilégio que me foi tirado. Com a mesma força dramática de Se Eu Ficar, agora pela voz de Adam, Para Onde Ela Foi expõe o desalento da perda, a promessa da esperança e a chama do amor que renasce.



:: ESSA RESENHA CONTÉM SPOILERS 
DO PRIMEIRO LIVRO [Leia Aqui]::



 Depois do primeiro livro ser narrado por Mia, em sua continuação, a história é narrada por Adam. Ele precisou seguir em frente. Três anos após o acidente que tirou a vida de toda família de sua então namorada Mia. Recuperada daquilo, ela agora é uma das mais promissoras da Juilliard, enquanto Adam e sua banda Shooting Stars estão estourados em todo mundo, com turnês programadas e agenda completamente lotada.

 Sem algum motivo forte, Mia decidiu largar Adam de vez e embarcar de cabeça na Juilliard, mesmo ele tendo sido a força maior pra ela ficar, o que já começou a dar uma certa estranheza na estória. O cara tinha feito tudo por ela e ainda assim ela o ignora completamente? Seguimos... Adam, mesmo largado pela ex, tem tudo que precisaria ter menos o amor dela. Mas inexplicavelmente, a vontade maior dele é largar tudo para trás ou ao menos rever sua adorável Mia.

 Para Onde Ela Foi, apesar de fluir muito mais rápido que Se Eu Ficar, é muito menos intenso e muito mais vazio e cansativo. Vários momentos senti aquela necessidade dele "terminar logo". Adam passa quase todo livro num sofrimento que enche a paciência. Entendo que para algumas pessoas o sucesso aliado à algumas desilusões pessoais ferem de fato com o emocional, mas como o que foi transmitido por ele, mesmo depois de tanto tempo... Enfim.

 Mas ai vocês me perguntam: por que, mesmo não tendo gostado tanto do primeiro e achado o segundo parado/chato, você resolveu completar a leitura dos dois? Bom, assim como no primeiro eu PRECISAVA saber o que iria acontecer no final de ambos para tentar encontrar um ponto naquilo tudo. Queria muito expressar totalmente minha opinião sobre o livro mas estragaria as surpresas (se é que tem alguma, porque né).

 Claro que essa é apenas minha opinião sobre o que eu achei da obra, já que muitos adoraram o livro. Eu, particurlamente não aconselharia a leitura, mas se você gosta de romances sofridos e uma carga desnecessária de drama, boa leitura!

Livros If I Stay:
  1. Se Eu Ficar
  2. Para Onde Ela Foi

19 de janeiro de 2015

Resenha: O Doador de Memórias

Título Original: The Giver
Título Anterior: O Doador
Série: The Giver, Volume 01
Editora: Arqueiro
Autor: Lois Lowry
ISBN: 9788580412994
Ano (Edição): 2014
Número de páginas: 224
Avaliação: ★★★
Sinopse: Em O doador de memórias, a premiada autora Lois Lowry constrói um mundo aparentemente ideal onde não existem dor, desigualdade, guerra nem qualquer tipo de conflito. Por outro lado, também não há amor, desejo ou alegria genuína. Os habitantes de uma pequena comunidade, satisfeitos com a vida ordenada, pacata e estável que levam, conhecem apenas o presente – o passado e todas as lembranças do antigo mundo lhes foram apagados da mente. Um único indivíduo é encarregado de ser o guardião dessas memórias, com o objetivo de proteger o povo do sofrimento e, ao mesmo tempo, ter a sabedoria necessária para orientar os dirigentes da sociedade em momentos difíceis. Aos 12 anos, idade em que toda criança é designada à profissão que irá seguir, Jonas recebe a honra de se tornar o próximo guardião. Ele é avisado de que precisará passar por um treinamento difícil, que exigirá coragem, disciplina e muita força, mas não faz ideia de que seu mundo nunca mais será o mesmo.

 O futuro é monótono. A sociedade é sincera. Não há mais guerras, dor, sofrimento ou tristeza. Em contramão, não há laços afetivos como romances e diversão. Não há cores, é tudo preto e branco, na visão que as pessoas tem, vale ressaltar. Um mundo "perfeito", naquele âmbito. O passado foi apagado (literalmente) da mente das pessoas, que vivem como "robôs" de tão mecânicos que são. É nesse contexto que Jonas cresce.

 Aos doze anos, cada membro daquela nova sociedade deveria ser designado à uma nova função especifica para trabalho. Mal Jonas sabia que seria designado para ser o novo Doador (naquele momento, Jonas seria o Receptor de Memórias), já que o atual estava ficando velho e a sociedade precisaria de um novo e preparado Doador. Ele seria treinado e passaria a ser o responsável por todas as memórias do passado, desde as guerras aos momentos mais genuínos de afeto entre pessoas, e a partir daí aconselhar os Anciões dali sempre que necessário fosse.

 Não quero me alongar muito explicando a história porque além dela ser relativamente curta, posso saltar algo que não deveria na resenha, já que quase tudo que acontece é muito suspeito. Jonas é um garoto como outro qualquer, só que não naquela sociedade. Apesar de "cego", ele tem (inconscientemente) em sua mente a sementinha da duvida e do questionamento, que aflora depois que ele é selecionado como o novo Doador. 

 A estória ao meu ponto de vista sofre muitos altos e baixos no decorrer das páginas, o que me desagradou bastante (oi, três estrelas...). Os personagens, ainda que sejam "múmias" me agradaram, já que suas incapacidades de esboçar sentimentos foram bem trabalhadas e não deixou nenhum vácuo indevido que poderia criar alguma duvida tipo "mas ele não é "sem amor"? Como ponto alto também destacaria a divisão das profissões das pessoas, que foram bem pensadas para a estruturação da trama. Como ponto baixo, o final que deixou a desejar já que é um tanto "louco" e confuso e um pouco de marasmo em alguns momentos, no desenrolar da obra (os motivos dos momentos baixos que citei no inicio do parágrafo).

 O Doador de Memórias foi uma leitura que mesmo não tenha agregado muito, foi interessante e rápida. Se não achei ruim, também não me apaixonei pela obra, ainda que tivesse corpo para isso, o que explica a nota mediana. De todo caso, vale o passatempo e a leitura, já que muitas resenhas que li amaram a estória de Lois Lowry. 

O Quarteto O Doador:
  1. O Doador de Memórias
  2. A Escolhida
  3. Messenger
  4. Son

17 de janeiro de 2015

Resenha: Se Eu Ficar

Título Original: If I Stay
Editora: Novo Conceito
Autor: Gayle Forman
ISBN: 9788581635415
Ano: 2014
Número de páginas: 224
Avaliação: ★★★
Sinopse: A última coisa de que Mia se lembra é a música. Depois do acidente, ela ainda consegue ouvir a música. Ela vê o seu corpo sendo tirado dos destroços do carro de seus pais mas não sente nada. Tudo o que ela pode fazer é assistir ao esforço dos médicos para salvar sua vida, enquanto seus amigos e parentes aguardam na sala de espera... e o seu amor luta para ficar perto dela. Pelas próximas 24 horas, Mia precisa compreender o que aconteceu antes do acidente e também o que aconteceu depois. Ela sabe que precisa fazer a escolha mais difícil de todas.


Skoob
Novo Conceito




  Mia Hall é uma garota que leva uma vida relativamente perfeita: seus pais Kate e Denny são roqueiros amoros e companheiros, seu irmão mais novo Teddy é inteligente e divertido, uma grande e fiel amiga, a Kim e seu namorado, Adam, um cantor de uma banda emergente e que, devido a isso, está um pouco distante dela. Ela é uma violoncelista com um talento incrível e surpreendente. A música é sua maior paixão.  

  Depois de um dia de "férias" forçada devido a neve, a familia decide passar um dia na casa de seus amigos. Mas um acidente destruiu tudo de belo que existia ali: uma família quase perfeita. Os pais de Mia não resistiram a colisão do carro na estrada e morreram ali mesmo. Seu irmão está em estado gravíssimo e ela... Ai que tudo começa a ficar louco: O corpo de Mia Hall está estendido no chão e ferido, mas ela vê tudo que está acontecendo ao seu redor como uma espectadora, como uma alma que saiu do corpo e está perambulando por ali.

  Num drama de mão cheia, Mia, diante de toda aquela catástrofe que a assolou, precisa criar forças dentro de si para sair do coma e voltar para seu corpo ou de fato desistir de vez de viver e se entregar. Ela precisa de um verdadeiro motivo para ficar.

  A história tem corpo pra ser completamente envolvente mas não me encantou, ficando monótona no decorrer das páginas, mas que, ainda assim, não se tornou ruim. Mia é uma garota que de interessante e determinada no início, passa a ser "chata" no decorrer da trama. Outro fato que me causou estranheza foi uma certa frieza da garota com a situação (ou foi choque?). Enfim...

  A narrativa é contada por ela através de flashbacks, lembranças de sua vida pessoal que vai desde quando ela era tão nova quanto Teddy ao inicio de seu relacionamento com Adam. O final foi meio louco, o que me deixou com vontade de saber o que aconteceria na continuação do livro (Para Onde Ela Foi), mesmo com a estória tendo me decepcionado em termos gerais, já que havia criado uma expectativa maior. Para quem gosta de drama, o livro é uma boa pedida. Se você procura um livro mais intenso, vá com calma. No mais, Se Eu Ficar é indicável para vocês! E em breve, resenha da sequencia da obra.

Livros If I Stay
  1. Se Eu Ficar
  2. Para Onde Ela Foi

15 de janeiro de 2015

Parceria: Editora Boitempo Editorial

Olá pessoal!

É com satisfação que vos apresento a mais nova parceria com editoras do Cantina do Livro. Trata-se da Boitempo Editorial, uma editora com especialidades em livros acadêmicos mas que a um ano está se envolvendo com thrillers e clássicos da literatura e, por isso, confiou no trabalho do blog para parceria. Diante disso, agradeço muito a editora e que possamos colher bons frutos, tanto para editora quanto para o blog.

11 de janeiro de 2015

Cinema | Principais adaptações literárias para 2015


 Depois de um ano de vários lançamentos cinematograficos de adaptações de livros, 2015 promete boas idas ao cinema. Do final da saga Jogos Vorazes às continuações de Divergente e Maze Runner, eis as principais adaptações do ano e suas respectivas datas (lembrando que elas podem sofrer alterações a qualquer momento): 

8 de janeiro de 2015

Parceria: Paul Fabien

 Faaaala pessoal! Pra começar 2015 com tudo no que diz respeito ao blog, hoje anuncio o mais novo parceiro do Cantina do Livro. Trata-se de Paul Fabien, autor de Amazônia - O Arquivo das Almas, um livro que desperto minha curiosidade desde a primeira vez que o vi. De ante mão, agradeço ao autor pela parceria e pela confiança no blog. Breve tem resenha (sincera!) de Amazônia - O Arquivo das Almas por aqui. Para quem ainda não conhece livro e autor, segue mais informações sobre eles: 

Sobre o Autor
 Paul Fabien é fascinado pelo mundo dos filmes de aventura e, principalmente, literatura. O desejo de iniciar a carreira literária começou a surgir no coração. Escreveu "Amazônia - O Arquivo das Almas" por ser um grande fã do roteirista americano James Khan, que desenvolveu grandes obras para o cinema, como "Poltergeist", "Indiana Jones", "Goonies" e "Star Wars". Conhecendo sua obra, resolveu seguir seus passou e criar a própria história, que aborda a natureza da Amazônia de maneira não muito convencional e com forte carga surrealista. Assim surgiu um fantástico casal de heróis, protagonistas de aventuras no melhor estilo "Star Wars" e "Indiana Jones".


Email: pfg2000@gmail.com
Facebook


Informações sobre a Obra
 Em um futuro não muito distante, um casal de oficiais, Vitã e Helena, participam de várias campanhas militares. Em todas as oportunidades lutam para defender a grande Floresta Amazônica. Eles não imaginam que uma nova missão irá lançá-los na mais espetacular e perigosa das aventuras. O grande enigma começaria dentro da Amazônia, um lugar inóspito, assustador , repleto de mistérios e grandes perigos. Após vários confrontos, eles se deparam com as cavernas de Abissínia, na Colômbia, onde encontram a origem do verdadeiro mal e descobrem antigos segredos gravados em inscrições cuneiformes registradas por outras civilizações pré-diluvianas.

Título: Amazônia - O Arquivo das Almas
Autor: Paul Fabien
ISBN: 9788581890258
Páginas: 332
Editora: Isís
Ano: 2014

5 de janeiro de 2015

Resenha: Star Wars - Herdeiros do Império

Título Original: Heir To The Empire
Série: Star Wars: Trilogia Thrawn
Editora: Aleph
Autor: Timothy Zahn
ISBN: 978-85-8057-301-5
Ano: 2014 (reedição)
Número de páginas: 472
Avaliação: ★★★★
Sinopse: Luke, Han e Leia enfrentam uma nova ameaça. Cinco anos após a destruição da Estrela da Morte, a ainda frágil República luta para restabelecer o controle político e curar as feridas deixadas pela guerra que assolou a galáxia. O Império, porém, parece não ter morrido com Darth Vader e o imperador. Habitando os confins da galáxia, o grão-almirante Thrawn, gênio militar por trás de diversas ações imperiais, ainda luta para reconquistar o poder perdido. A bordo do destroier estelar Quimera, ele descobre segredos que lhe darão a chance de destruir definitivamente o que restou da Aliança Rebelde, para assim retomar o domínio da galáxia e controlar os últimos dos Jedis. Herdeiro do Império é considerado um dos mais importantes marcos do universo expandido de STAR WARS. Desde seu lançamento, tem sido aceito pelos fãs da franquia como a verdadeira continuação da trilogia original. Além disso, a obra foi usada como base criativa para vários outros produtos da série, incluindo jogos, filmes e animações.


 Eis que a tão aguardada Trilogia Thrawn foi relançada no Brasil pela Editora Aleph. Aquela que é considerada a continuação não oficial (ou nem tanto) mais aceita (inclusive pelo próprio George Lucas) de último episodio da série Star Wars, O Retorno de Jedi (tanto filme, quanto livro), teria uma árdua missão de conseguir trazer aos olhos os mesmos encantos que as trilogias oficiais. Conseguiu? Veremos logo a seguir.

 O império veio ao chão! Anos após a destruição da estrela da morte e o fim do legado de Darth Vader e do imperador Darth Sidious, a nova republica tenta se restabelecer e ganhar forças nos lugares mais inósptos da galáxia. Leia Organa treina para se tornar um Jedi, mesmo grávidas de gêmeos do eterno piloto da Millenium Falcon, Han Solo. Luke Skywalker, irmão de Leia, ainda sente falta de seus antigos mestres, Yoda e Obi Wan, que curiosamente ainda se faz presente no memória do Jedi. 

 Mas claro, que eles não estariam livres de todo mal. O "câncer" que sobrou do antigo império tenta se reerguer, agora comandados pelo inteligentíssimo grão-almirante Thrawn a bordo do destróier Quimera, que mesmo sendo o "lado negro da força" conseguiu ganhar meu respeito (algo MUITO natural de acontecer nessa saga, não? - Ponto positivo para Timothy Zahn). O perigoso Thrawn ainda busca novos aliados para combater os antigos Rebeldes, encontrando apoio no clone Joruus C'baoth, um outro Jedi Jorus C'baoth (com um "U" apenas) criado pelo maligno Imperador Palpatine/Sidious quando em vida.

 A aventura é de fato frenética. Novos personagens como Mara Jade, que nutre um ódio inexplicavel (até então) por Luke Skywalker unem suas ótimas características desenvolvidas por Zahn à personagens clássicos da saga, como o wookie Chewbacca, os dróides C-3PO e R2-D2 e o ex-contrabandista Lando Calrissian, agregando ainda mais valor a obra.

 Outro ponto positivo (agora estória a parte), foi a edição desenvolvida pela editora Aleph, que criou um dos livros mais belos da minha estante, tanto com sua capa como com seu conteúdo (ilustrações capitulares, material de capa e folhas, etc). Como ponto negativo, talvez, algumas cenas muito alongadas com diálogos desnecessários, que em alguns momentos não contribuíram muito ao enredo.

 Apesar de o livro ser muito bom e indicar a todos, creio que quem já está ambientado à série curtira muito mais as aventuras aqui descritas. Fica a expectativa para a continuação da saga, que já foi confirmada pela editora. 

Star Wars: Trilogia Thrawn
  1. Herdeiros do Império
  2. O Despertar da Força Negra
  3. A Última Ordem
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...