2 de agosto de 2014

Resenha: Divergente

Título Original: Divergent
Série: Divergente
Editora: Rocco (Jovens Leitores)
Autor: Veronica Roth
ISBN: 978-85-7980-131-0
Ano: 2011
Páginas: 504
Avaliação: ★★★
Sinopse: Numa Chicago futurista, a sociedade se divide em cinco facções – Abnegação, Amizade, Audácia, Franqueza e Erudição – e não pertencer a nenhuma facção é como ser invisível. Beatrice cresceu na Abnegação, mas o teste de aptidão por que passam todos os jovens aos 16 anos, numa grande cerimônia de iniciação que determina a que grupo querem se unir para passar o resto de suas vidas, revela que ela é, na verdade, uma divergente, não respondendo às simulações conforme o previsto. A jovem deve então decidir entre ficar com sua família ou ser quem ela realmente é e acaba fazendo uma escolha que surpreende a todos, inclusive a ela mesma, e que terá desdobramentos sobre sua vida, seu coração e até mesmo sobre a sociedade supostamente ideal em que vive.


 O mundo não é mais o mesmo. Numa Chicago futurista, a o contexto que temos de sociedade passa a ser inexistente. Agora, a sociedade divide-se em cinco grupos denominados de facções, na qual cada uma delas é responsável pela manutenção da cidade e as pessoas vivem em cultivo a sua virtude especial. As facções são a Amizade (Paz), a Audácia (Coragem), a Franqueza (Sinceridade) a Erudição (Inteligência) e por ultimo a Abnegação (Altruísmo), facção da nossa personagem central Beatrice Prior. Ela mora com seus pais e seu irmão Caleb, mas não leva muito jeito para a coisa altruísta de ser. 

 Aos dezesseis anos, as pessoas são submetidas a um teste de iniciação, teste esse capaz de revelar para qual das facções aquela pessoa tem mais aptidão a servir, independentemente de qual tenha nascido. Caso o teste não defina a facção da pessoa, ela passa a ser considerada um sem-facção (um morador de rua dos tempos "modernos"). Eis que os testes de Tris revelam algo raríssimo de se acontecer. Ela teria que fazer uma escolha que não só mudaria sua vida como a de muitas todas pessoas.

"O abismo serve para nos lembrar que há um limite tênue entre a coragem e a estupidez."
Pagina 72

 De primeira mão, confesso que não esperava nada do livro, já que aparentemente tem uma fórmula maçante e castigada atualmente: Uma distopia com uma mocinha pra salvar a sociedade e o "poder na mão do homem acima de tudo". Porém, decidi tentar a lê-lo, já que cada livro possui sua singularidade. Uma estória que possui momentos de altos e baixos (mais altos que baixos) e que prende o leitor facilmente. Tris não é daquelas personagens que te enche com pensamentos soltos e indecisões sobre "a vida e o tudo mais". A característica decidida dela faz valer os momentos de emoção do livro. Outros personagens como Quatro (a ancora de Tris) e Caleb também ressaltam os pontos positivos da trama. As cenas de ação são bem retratadas e desenvolvidas pela autora na maioria das vezes, o que também faz valer a leitura. 

 Só que ai vem o ponto contraditório: Apesar de ter gostado do livro no geral, achei meio vago e que faltou alguma coisa, faltou empolgação. Mais uma vez o romance que insistem em criar me incomoda. Basicamente, você já consegue perceber nas primeiras páginas como ele vai se desenvolver. Os personagens no geral não são bem conectados um com o outro. O final é um tanto confuso. É tanta coisa ao mesmo tempo que um deslize e você se perde. 

 Ainda que o livro não seja algo tão surpreendente ou fascinante, tem sim seus méritos e faz valer a pena a leitura. E por mais que induza a isso, não queira ler comparando a Jogos Vorazes, fato que já vi incansavelmente nas redes sociais, como se Divergente fosse alguma sequencia da série. Cada um no seu quadrado, pessoas... 

 Ah! Para findar a resenha, faço a indicação do livro/ebook paralelo ao livro que se chama Quatro Medos, que reconta a cena do arremesso de facas (quem já leu deve-se recordar) na visão do personagem Quatro. 

Trilogia Divergente:
  1. Divergente
  2. Insurgente
  3. Convergente

14 comentários:

  1. Também tinha receio em ler Divergente, por não achar nada demais, mas acabei dando uma chance e acabei por gostar bastante da história. Entendo o que você citou dos pontos negativos, mas leia o segundo livro! É o melhor da série, e dá uma adrenalina gigantesca pro leitor

    xx Carol
    http://caverna-literaria.blogspot.com.br/
    Tem resenha nova de "O Silêncio das Montanhas", vem conferir!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Está na minha lista. Não vou desistir da serie não :)

      Excluir
  2. Já vi que muitas pessoas são fãs dessa trilogia, mas não parece ser o tipo de leitura que me prende. Se tiver a oportunidade lerei, afinal, não descarto nada e um livro pode nos surpreender. Bela resenha!

    ResponderExcluir
  3. hum... sabes que até fiquei curiosa mas quero ler os clássicos da ficção cientifica e distopia antes... mas quem sabe eu não encare
    bjokas e parabéns pela resenha

    ResponderExcluir
  4. Eu também comecei a ler esse livro sem muita pretensão, primeiro pois não gosto muito de distopias, e segundo pois achei TAMBÉM que o livro era apenas mais um. Concordo plenamente, eu quando estava fazendo a leitura, tive que voltar algumas vezes pois tinha me perdido completamente na linha de raciocínio da autora. Confesso que o final me deixou um pouco: WHAT? Mas, como tem um segundo... De qualquer forma não foi o livro que mudou minha vida hahaha'

    Beijos!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não mudou mesmo, Kéziah! hauhauahua O final é um tanto louco. Confesso que só compreendi tudo depois que assisti o filme. É bem mediano o livro.

      Excluir
  5. Oieeee! Gostei da sua resenha, muito bem escrita!! E adorei seu blog também. Vire fã :P

    Beijos
    Nati

    www.meninadelivro.com.br

    ResponderExcluir
  6. Eu gostei muito de Divergente, mas também achei o romance um pouco forçado. No filme eu achei o romance mais forçado ainda. Eu gostei da ideia do livro pela originalidade, mas como já terminei de ler a trilogia, posso dizer que o resultado final (e principalmente a conclusão) me decepcionaram bastante.
    Beijo!
    Eduarda, do Maquiada na Livraria.
    http://maquiadanalivraria.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Meu medo é esse. A decepção ao final, mesmo eu não esperando muita coisa. Mas ainda assim tentarei ler os outros dois.

      Excluir
  7. Gostei bastante de sua resenha, do seu jeito de escrever >.< Estou na leitura de Convergente e estou amaaaando!
    Tem vídeo de Book Haul no Doce Literário, espero sua visita :D
    www.doceliterario.wordpress.com/ Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado. Já já chego no terceiro livro também :)

      Excluir
  8. Tá aí um que falam MUITO nas redes sociais e que não me chamou atenção... Gostei do review mas parece ser "vazio", esse foco no romance estraga muitas séries, talvez eu leia por curiosidade mas no momento deixo no final da fila HAHAHA;

    Abs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vazio, vazio não é, mas falta algo. Não é de todo ruim mas também não é maravilhoso. Dá pra ler.

      Excluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...