2 de julho de 2014

Resenha: A Ilha de Kansnubra

Título Original: A Ilha de Kansnubra e o Portal Perdido
Editora: Novo Século
Autor: Andrews Ulisses
ISBN: 978-85-7679-950-4
Ano: 2013
Páginas: 280
Avaliação: ★★★★
Sinopse: Garley é um tímido estudante de dezesseis anos que encontra um misterioso medalhão de ouro e é transportado a uma ilha chamada Kansnubra. Localizado no enigmático Triângulo das Bermudas, este fantástico lugar é palco de mago, bruxas e dragões. Para encontrar o portal perdido e retornar a sua vida normal, Garley deverá criar coragem e cumprir uma missão. Com a ajuda de Aldrich, Johnny, Laura, Jorge e Alix, eles partem em direção ao Monte Tylan, mas monstruosas criaturas e poderosos inimigos cruzam o caminho dos jovens. Será que Garley conseguirá enfrentar seus medos e alcançar o objetivo? 








  Garley era mais um garoto normal da pacata cidade de Kastreen's Pick. De família humilde para não dizer pobre, ele sempre foi motivo de chacota dos outros alunos do Colégio Braghton, principalmente pelos "valentões". Um dia depois de estar fugindo dos manda-chuva, Garley se deparou com um medalhão largado no chão, com um brilho incomum e símbolos estranhos contidos nele. Seria ouro? Aquilo poderia mudar significativamente a vida de sua família por um certo tempo. Decido, ele levou-o para casa. Mal imaginava ele que aquele medalhão iria "abduzi-lo" mais tarde para a misteriosa e fantástica Ilha de Kansnubra.

  A ilha é dividida em cinco grandes cidades, com 3 grupos diferentes espalhados: Os Pelvins (povo mágico), Os Lugans (mágicos também, porém com poderes limitados) e os Estrangeiros, povos que vieram de fora. Quando era um país com grandes riquezas, Kansnubra era bastante assediada. Zoxer, um antigo mago poderoso, pensando em protege-la, encantou a ilha, ocultando a para o mundo exterior. Ou seja, "quem tá dentro não sai, quem tá fora não entra". 

  Confuso e perdido, Garley termina indo parar na casa do mago Aldrich para pedir ajuda. Logo, ele descobre que aquele medalhão era de responsabilidade do mago, que o havia perdido. O medalhão servia como peça para atravessar um portal que levava de Kansnubra ao mundo exterior. Problema: Não sabe-se onde está o portal, apenas que ele provavelmente estaria sob posse do vilão desaparecido Zallezeres. Garley precisava voltar para casa. Disposto a ajudá-lo, Aldrich decide que irá com ele em direção ao Monte Tylan, passando pela temível floresta que ninguém (ou quase ninguém) atreve-se a adentar. De gigantes escorpiões à dragões e "povos desumanizados".

  Visando diminuir os riscos daquela viagem, ele apresenta Garley ao seu primo Jhonny, que possuem itens que o ajudarão na missão. Dentre esses itens, está o mapa da floresta que estaria destinado, segundo uma profecia, ao Herdeiro do Cavaleiro Dourado para que (ainda segundo a profecia) defendesse a ilha de um perigo capaz de destruir quase todos. Com isso, Jhonny e sua familia (Mulher Laura e seus filhos Jorge e Alix) decidem juntar-se a eles nessa perigosíssima missão. 
  
  Para ir, eles precisavam de armas (não armas de fogo, que eram proibidas na ilha), mas espadas e arcos. Tradicionalmente, sempre que comprada uma espada numa das loja, o comprador tinha direito de erguer a espada que um dia foi do Cavaleiro Dourado, morto pelas mãos de Zallezeres. Daquele dia adiante, ninguém jamais havia conseguido tal façanha. Feito não tão difícil de ser realizado pelo (agora Herdeiro) Garley. Seria coincidência Garley ir parar naquela ilha? Porque ele se tornou "o Herdeiro"? 
  
  Esses são os mistérios explícitos de A Ilha de Kansnubra e o Portal Perdido, que ainda traria grandes revelações e surpresas no decorrer da leitura que, diga-se de passagem, flui tão facilmente que os capítulos se tornam imperceptíveis (em relação a duração). Ainda que não seja uma literatura fantástica tão grandiosa, a obra possui uma simplicidade incrível e consegue sem esforço cativar o leitor... E olha que, para um livro conseguir tão proeza comigo não é fácil. Quanto aos personagens, apesar de que alguns poderiam ser melhor explorados (como Alix e Laura), a química entre eles é forte e se encaixam completamente. A história de Zallezeres também é um dos pontos altos do livro. Reveladora e surpreendente.  Enfim, A Ilha de Kansnubra e o Portal Perdido é um excelente passatempo e uma aventura divertida e boa de se ler. Literatura com selo nacional de qualidade. Vale a leitura. 

14 comentários:

  1. Muito bom o reviw, pela capa achei que seria algo pro lado "Julio Verne" da coisa, mas pude notar que é bem fantasioso.O único problema que tenho com esse tipo de narrativa são os nomes de lugares, hierarquia e nome de personagem diferente, tenho q ler com atenção pra não me perder.

    Gostei pq tá bem longe dos esteriótipos "livro brasileiro com personagens e lugares brasileiros" tipo se passando no Rio e José como protagonista. Vou comprar se achar nas livrarias, gostei p caramba.

    Abs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não é nada complexo Amanto, lhe garanto. Não tem como se perder. Ótimo livro :)

      Excluir
  2. A resenha ficou show! Muito obrigado pelo apoio! Sucesso com o blog!

    ResponderExcluir
  3. Eu já li esse livro a bastante tempo, e gostei bastante, é uma leitura bem gostosinha e que passa bem rápido.
    Também fiquei com essa sensação de que alguns personagens poderiam ter sido melhores explorados...
    Ótima resenha.
    Beijos,
    Yasmin
    deitadosnagrama.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo contigo. Alguns personagens ficaram meio vagos mesmo.

      Excluir
  4. Nunca tinha ouvido falar, mas a história me pareceu bem interessante. O problema é que estou devendo ler a trilogia da Bússola de Ouro há séculos, então outros livros de fantasia vão ter que ir para o final da fila.
    Beijo e parabéns pela resenha! ; )
    Eduarda, do Maquiada na Livraria.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado. Bússola de Ouro também faz parte das minhas "metas de leitura". Não no momento, mas irei ler.

      Excluir
  5. Eu gosto dessas histórias de ilha perdida e coisa e tal, normalmente livros assim são interessantes. E, já que você falou que tem o selo nacional de qualidade, eu confio!!
    Indiquei você a uma TAG, confere lá: http://blogfalandodelivros.blogspot.com/2014/07/book-tag-selecoes-da-copa-2014.html

    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É legal. Creio que você irá gostar. Breve farei a tag aqui ;)

      Excluir
  6. Carlos, gostei do que foi pontuado e das suas observações. Infelizmente não é o tipo de leitura que eu esteja procurando no momento (por questões de gênero mesmo), mas é bom saber que tem a sua aprovação. Sucesso ao autor!

    Abraços.
    http://universoliterario.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  7. Nosssaaa que bom que vc voltou a postar resenhas tava com saudades de ler coisas que você escreve... :D

    bjokas enormesss ;)

    ResponderExcluir
  8. Oi!

    Nossa, que legal a resenha! Não conhecia o livro, mas me interessou muuuito, e ainda mais por ser nacional e ter uma crítica tão boa assim... Já ganha algumas estrelinhas, né? hahahah
    adorei a capa, também, muito bem cuidada! Novos Talentos cada vez melhores <3

    Beijos,
    Leeh - Caverna Literária

    ResponderExcluir
  9. Olá, tudo bem?
    Já seguia o blog, mas essa é a primeira visita que faço aqui. Gostei bastante do blog, parabéns!
    Li A Ilha o ano passado e foi um dos livros do qual eu devorei mais rápido. Amei a leitura, o autor consegue nos levar para um mundo mágico e nem tão distante da realidade vivida pelo Garley.

    Abraços,
    http://cantinhodaleituraedosleitores.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...