25 de novembro de 2013

Resenha: O Misterioso Caso de Styles

Título Original: The Mysterious Affair at Styles
Autor: Agatha Christie
Ano: 1920
Edição: 2010
Editora: BestBolso
Páginas: 196
ISBN: 987-85-7799-262-1
Avaliação: ★★★★ 
Sinopse: No meio da madrugada, a rica proprietária da mansão Styles é encontrada morta em sua cama, aparentemente vítima de um ataque cardíaco. As portas do quarto estavam trancadas por dentro e tudo indicava morte natural. Mas o médico da família levanta uma suspeita: assassinato por envenenamento. Todos os hóspedes da velha mansão tinham motivos para matar a Sra. Inglethorp e nenhum deles possuía um álibi convincente. Para solucionar o crime entra em ação o detetive Hercule Poirot, irresistível personagem criado por Agatha Christie, que faz a sua estréia neste caso intrigante. Um marco da literatura policial e um dos maiores romances do gênero.

 Primeiro caso solucionado pelo detetive belga Hércule Poirot, Agatha Christie demonstrou para que ele veio. 

 Assim como quase todos os livros, ele é narrado por Arthur Hastings, amigo e escudeiro de Poirot. A história se passa numa mansão no campo, propriedade familiar comprada por John Cavendish pouco depois de seu casamento. Jonh é o irmão mais velho de Lawrence Cavendish e ambos filhos de Emily Inglethorp. Depois de um convite, Capitão Hastings se hospeda lá. O que ninguém esperava é que, durante a noite, a rica proprietária Sra. Inglethorp iria vir a falecer em seu quarto, aparentemente por causas naturais (ataque cardíaco). Posteriormente, o médico da família faz a revelação que mudaria a o destino da estória: Ela não havia morrido naturalmente, mas sim envenenada por estricnina! A partir disso, todos os hospedes que ali estavam são possíveis executores do crime. Para solucionar esse caso, Hastings sugere a contratação de Poirot.

 Logo de cara, percebi que este seria mais um dos casos aparentemente sem solução que Poirot teria que desvendar. Um quebra-cabeças de pequenas peças e, algumas delas, muito bem escondidas e camufladas. Com que pretexto alguém iria matar a Sra. Inglethorp? Quais interesses por trás disso? 

 Sempre que leio algum livro policial investigativo, tento adivinhar o assassino e o motivo logico para aquilo. Porém, dessa vez deixei a leitura fluir pelo excesso de pontos soltos que não me levavam a lugar nenhum. Quanto aos personagens, nenhum mostrou motivos suficientes para não cometer o assassinato, confundindo-me a todo instante. O final não é tão surpreendente assim, entretanto revelador o suficiente. 

 De leitura rápida e precisa, a rainha do crime conseguiu colocar mais uma de suas obras entre meus livros favoritos do gênero. Super indicado. 

23 de novembro de 2013

10 capas de livros "Irmãs gêmeas"


O Listas Literárias fez uma seleção com 10 pares de capas de livros pra lá de parecidas provando como diz a tendência há sempre alguém parecido com nós em algum lugar do mundo. Inclusive nas capas literárias:

13 de novembro de 2013

11ª Bienal do Livro da Bahia - 2013


 Alô terráqueos!
 É com um certo delay (devido a muita coisa para estudar) que venho falar sobre a 11ª Bienal do Livro que acontece em Salvador - BA. O Evento que teve início no dia 08 desse mês de Novembro, reúne o que de melhor pode-se esperar de um evento desse porte: LIVROS para todos os gostos. Um paraíso para os amantes dessa cultura. 
Estande da Editora Novo Conceito
 Superior a última de 2011, dessa vez pude encontrar TUDO o que procurei, sem exceções, o que realmente foi uma surpresa (e tristeza, por não poder trazer nem 10% do que queria -$$). De clássicos como Os Miseráveis, O Diário de Anne Frank, Crimes ABC à livros "atuais", como A Marca de Atena, O Chamado do Cuco e A Guerra dos Tronos.
  Quanto aos estandes, destaques para Livraria Multicampi (LDM), do Queen Books pela variedade de obras e principalmente da Editora Novo Conceito, que realmente chamou atenção (visualmente, não tanto pelos preços). Juntamente a eles o de "livros a R$10", que não recordo o nome. 

 Por falar em preço, nenhuma surpresa: valores semelhantes aos de uma livrarias nos casos das obras mais atuais (procurando bastante pode-se achar variedade de valores, daí se tira o mais em conta - encontrei "A Marca de Atena por R$28, enquanto em todos os outros estandes variava de R$35 à R$40) e várias promoções de R$3 (infantis, geralmente) à R$10 em alguns clássicos (como Os Três Mosqueteiros e 20.000 Léguas Submarinas, com capa dura!) e livros técnicos/didáticos. Decepção ficou por conta dos livros do Tolkien (uma das minhas caças) no qual nenhum estava abaixo de R$40, para minha depressão. O ponto negativo fica para as sebos, que não encontrei nenhuma vantagem sobre os valores das obras. Aliás, as sebos de Salvador precisam rever seus conceitos de preço de livros. Enfim, não vem ao caso...

 Além dos livros de literatura, técnicos e didáticos, a Bienal tem seu espaço especial para as tradições culturais, como a A Praça de Poesia e Cordel que abrange especialmente a literatura de cordel e estandes reservados à cultura japonesa com mangás e animes (além dos papercrafts encontrados pelo espaço).

 Outra novidade desse ano é a Maquina de Ler, uma cabine para leitura do livro Capitães da Areia de Jorge Amado por múltiplos leitores, aberta ao público, que funcionará durante toda a Bienal.

 Não revelarei quais livros trouxe pra casa porque pretendo voltar lá esse final de semana e claro, trazer novidades. Ao final do evento, farei o "saldão" do prejuízo.

Para quem ainda não foi (principalmente os soteropolitanos), a dica está lançada. O evento vai até o dia 17 (domingo), sem interrupção pelo feriado de 15 de Novembro.

11ª BIENAL DO LIVRO DA BAHIA
Data: 08 a 17 de novembro
Local: Centro de Convenções da Bahia - Av. Simon Bolivar S/N - Salvador – Bahia
Ingressos: R$ 4,00 (inteira) e R$ 2,00 (meia-entrada).
Professores, bibliotecários e profissionais do livro têm acesso gratuito.
Número de expositores: 385
Número de visitantes: expectativa de 270 mil pessoas
Área utilizada: 16 mil m²
Sessões culturais: Café Literário, Baú de Histórias, Praça de Cordel e Poesia e Território Jovem
Realização: Fagga Eventos
Site: www.bienaldolivrodabahia.com.br

7 de novembro de 2013

Resenha: O Caminho Para Woodbury

Titulo: The Walking Dead: O Caminho Para Woodbury
Título Original: The Walking Dead: The Road to Woodbury
Volume: 2
Autor: Robert Kirkman e Jay Bonansinga
Editora: Galera Record
Ano: 2012
Páginas: 336
ISBN: 9788501401878
Avaliação: ★★★★
Sinopse: Há alguns meses que Philip Blake, o temido e ao mesmo tempo adorado Governador, organizou Woodbury para que a cidade murada fosse um local seguro no qual as pessoas pudessem viver em paz em meio ao apocalipse zumbi. E paz e segurança é tudo que Lilly Caul, que tenta desesperadamente sobreviver a cada dia que nasce, quer. Porém, mal sabe ela que seguir em direção a Woodbury é estar a um passo do perigo. Uma horda de errantes famintos não é nada perto do que se pode encontrar por lá.

RESENHA SEM SPOILERS DO PRIMEIRO LIVRO

 Assim como o primeiro volume [resenha aqui], em O Caminho Para Woodbury Robert Kirkman nos apresenta acontecimentos prévios e personagens paralelos que englobam a HQ e a série de TV. 

 Nesse volume conhecemos a tragetória de Lilly Caul, a personagem central da trama. Fugindo (ou tentando fugir) do apocalipse zumbi, Lilly e sua amiga Megan encontram e se juntam a um grupo de sobreviventes com objetivos comuns: levar uma vida tranquila dentro do possível naquele cenário. É lá que ela conhece aqueles que viriam a ser seus "aliados" Josh, Scott e Bob Stookie. Fatos obrigam a Lilly abandonar a "segurança" do acampamento e por o pé na estrada em busca de um lugar para viver. É nessa batalha pela sobrevivência que eles chegam a Woodbury. A cidade foi reorganizada por Philip Blake, aquele que teve sua história centrada em A Ascensão do Governador

 Tido quase como um rei, Philip civilizou (ou quase isso) a "nova fortaleza", sempre de braços abertos para novos hospedes, desde que eles contribuam para reconstruir a paz no caos. Pelo menos essa é a teoria.

 Menos dramático e surpreendente que o primeiro, porém mais sangrento e pesado. É nesse ritmo que segue o segundo volume da trama. Fiquei receoso nos primeiros capítulos, primeiro pelo fato da personagem principal ser "desconhecida" e depois por não consegui de ante mão achar nenhuma ligação entre o que havia lido com o que já conheço da série, coisa que brevemente foi resolvida.

 Assim como no primeiro livro, o excesso de detalhes desnecessários prejudica o desenvolvimento da leitura, já que a tensão é fixa em cada canto das páginas. Os personagens são bem desenvolvidos e explorados, só requer cuidados para não se afeiçoar ou pegar ódio a nenhum deles, já que as reviravoltas são constantes. O lado psicológico dos mesmos são postos a prova a todo instante, meneando a personalidade de cada um. Em termos gerais, este é bastante inferior à Ascensão do Governador e com fatos não tão relevante, frustando um pouco as minhas expectativas. Fãs ou admiradores da série, fica a dica e mais um volume da obra.

4 de novembro de 2013

Resenha: O Filho de Sobek

Título Original: Son of Sobek
Autor: Rick Riordan
Ano: 2013
Editora: Intrínseca
Páginas: 32
ISBN: 9788580573503
Avaliação: ★★★
Sinopse: Percy Jackson encontra Carter Kane em mais uma eletrizante aventura do autor best-seller Rick Riordan. Ao investigar os ataques de um crocodilo imenso contra pégasos em Long Island, o grande herói do Olimpo conhece o líder da casa do Brooklyn, que também está no rastro da fera. Os dois se juntam para combater o terrível filho de Sobek, mas as dúvidas são muitas: por que há um monstro egípcio atacando mitos gregos? Será que a união de forças dos dois heróis será suficiente para derrotar a fera? E a mais importante: quem estaria por trás desse terrível evento?

Disponível apenas em eBook





  Num crossover curto, Rick Riordan junta os personagens principais da série Percy Jackson & Os OlimpianosAs Crônicas dos Kanes: respectivamente, Percy Jackson e Carter Kane. Para quem ainda não está englobado, a primeira saga refere-se a mitologia grega, enquanto a segunda à mitologia egipicia. Já imaginaram a loucura que seria essa fusão, não é?

  A grande ameaça que eles tem que enfrentar é um gigantesco (mesmo) crocodilo, ou simplesmente "O Filho de Sobek", fazendo referencia ao deus-crocodilo presente na mitologia egipciana. Mesmo estando por fora do mundo de "As Crônicas dos Kanes" (não li ainda), não hesitei em encarar essa leitura. Apesar de rápida (até demais) e divertida, confesso que foi muito abaixo do "encontro tão esperado". O livro é narrado por Carter e tem seu foco voltado todo para o lado egípcio da trama. Com muitos pontos soltos e "ahns?", tudo leva a crer que haverá um um reencontro, dando sequencia e explicação ao crossover (com o lado grego e ate o romano, por que não?) ou ao menos uma ligação dele com as duas respectivas séries. Não há muito mais o que ser dito sobre o conto, tendo em vista seu curto tamanho. Quem gosta de uma ou ambas as séries, eis um prato cheio!
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...