29 de maio de 2013

Wishlist #6: Especial Séries



25 de maio de 2013

Recifrando #2: "Velhos Outonos", Por Rosa de Saron


Depois de um tempo "com as barbas de molho", o Recifrando está de volta. Para quem não acompanhou a postagem feita logo no início do ano, o quadro consiste em expor aos leitores do blog alguma música (principalmente as presentes na minha playlist, claro) que apresente um caráter poético. Hoje a escolhida foi a banda querida Rosa de Saron. 
Velhos Outonos
Guilherme de Sá
Faixa 13, álbum Horizonte Distante (2009)

[...]

Os dias passam, passam as horas
Tocando temas com um piano desafinado
Mais ou menos errado, mais ou menos parado
Sem sentido, um pouco ignorado
Gritos ecoam, selam memórias, marcam
Deus ainda chora, sempre rimos e o mundo esquece
O tempo da última prece
E ninguém aquece, ninguém acontece
Você sente na pele
Os dias estão frios, as noites estão quentes
Caminham num labirinto de vento
Vestindo pouco a pouco o esquecimento
Somos o que fazemos para mudar o que fomos
Mas se nada somos, virão apenas velhos outonos

[...]

Uma lágrima no chão reagiu minha lentidão
Tocou meu coração, fiz o que precisava
Ele chorava e eu perguntava
É comida? É uma casa?
Mal a noite caia, ele dizia
"Se quiser fazer algo por mim
Faça um verso sereno
E que ele me leve
Não somente até o céu, mas perto das estrelas"
Somos o que fazemos para mudar o que fomos

[...]

20 de maio de 2013

Percy Jackson encontra Carter Kane em O Filho de Sobek


Imagine dois de seus heróis preferidos, Percy Jackson e Carter Kane (As Crônicas dos Kane), unindo forças para lutar contra o mesmo inimigo! É o que acontece em O filho de Sobek, um eletrizante conto de Rick Riordan que acaba de ser lançado pela Intrínseca e já está disponível, somente em e-book, nas livrarias digitais.

Ao investigar os ataques de um crocodilo imenso contra pégasos em Long Island, o grande herói do Olimpo conhece o líder da casa do Brooklyn, que também está no rastro da fera. Os dois se juntam para combater o terrível filho de Sobek, mas as dúvidas são muitas: por que há um monstro egípcio atacando mitos gregos? Será que a união de forças dos dois heróis será suficiente para derrotar a fera? E a mais importante: quem estaria por trás desse terrível evento?

Compre já:

16 de maio de 2013

Resenha: Os Quatro Grandes

Titulo Original: The Big Four
Autora: Agatha Christie
Editora: L&PM
Ano: 1976
Páginas: 208
ISBN: 9788525418944
Avaliação: ★★★
Sinopse: Poirot está se preparando para sua primeira travessia transatlântica. O destino? A América Latina, mais precisamente o Rio. Mas pouco antes de embarcar, um homem invade a casa do investigador. O intruso se comporta como um louco, chamando por Poirot, rabiscando febrilmente o número 4 e balbuciando palavras desconexas. Até que, como num transe, começa a falar sobre os Quatro Grandes. Mas quem são eles? Uma organização clandestina? Hercule Poirot se vê em meio a uma intriga internacional, que envolve armas secretas, sequestros, laboratórios subterrâneos e fugas de tirar o fôlego.

Os Quatro Grandes foi a leitura mais "diferente" de alguma obra da Agatha Christie que tive, até então. Os motivos ficaram expostos logo.

 A trama mais uma vez traz como o personagem principal o maior detetive de todos os tempos, Hércule Poirot (50,01% de preferencia, em relação à Sherlock Holmes). Como sempre contada e descrita na visão do fiel escudeiro do detetive, o Capitão Arthur Hastings, inicia-se com uma visita surpresa que o narrador em questão pretendia fazer ao mon ami. Hastings havia se casado com Dulcie Duveen e com ela foi morar na Argentina mas frequentemente voltava para visitar seu "professor particular". Mas, ao chegar em Londres quem se surpreende é ele. Poirot, que jurava nunca atravessar o atlântico estava com viagem marcada com o navio partindo dentro de 1 hora. Ele teve um caso entregue em suas mão pelo homem mais rico do mundo Abe Ryland. O objetivo era investigar uma fraude acontecendo relacionada a uma grande empresa no Rio de Janeiro. Esse seria o último caso do detetive, que diante da enorme fortuna que receberia com o caso, iria aposentar-se. Mal imaginava ele que um dos maiores e mais arquitetados mistérios de sua vida estava por vir.

 Nesse meio tempo, um homem atordoado (louco, praticamente) entra na casa de Poirot e começa a falar sobre um grupo denominado "Os Quatro Grandes". Mais tarde, o mesmo homem foi encontrado morto. A partir daí os mistérios que já não eram poucos multiplicam-se por quatro. Como num jogo de xadrez, qualquer peça movida incorretamente pode destruir o seu jogo.

 Com o decorrer da trama descobrem-se alguns aspectos importantes sobre cada um dos integrantes da quadrilha que pretendia estabelecer uma ditadura mundial: O número um é um chinês, o número dois um multimilionário norte-americano, o número três é uma cientista francesa, e o número quatro é "O Destruidor", e diga-se de passagem, a peça mais importante nesse xadrez.

 O primeiro diferencial da história é o próprio Hércule Poirot. Se dificilmente alguém consegue enganá-lo, nessa estória constantemente suas próprias células cinzentas o traiam. Depois a trama carregar consigo uma pressão muito mais intensa e estratégica que o normal, o que tornou o nosso detetive um tanto malandro para solucionar o seu objetivo. Acho que esse é o limite que posso chegar nessa resenha sem estragar as surpresas que o livro guarda a cada capítulo.

Mais uma vez, Agatha Christie provando porque é a Rainha do Crime!

13 de maio de 2013

Dicas para conservar os livros da sua estante


Foto: Google Imagens

 Sua estante de livros anda bagunçada, com as páginas de algumas publicações amareladas e tão soltas que já mudaram o rumo de seus romances prediletos. Não bastasse isso, traças e fungos estão prejudicando a integridade dos livros. Mas calma, pois é possível criar um novo desfecho para essa história. A designer e restauradora de livros Christiana Lee, associada da ABER (Associação Brasileira de Encadernação e Restauro), dá algumas dicas de como dar vida nova para o seu cantinho literário:

4 de maio de 2013

Resenha: Amazônia - Um Caminho Para o Sonho

Titulo: Amazônia – Um Caminho Para o Sonho
Autora: M.C. Jachnkee
Editora: Nova Letra
Páginas: 273 páginas
ISBN: 978-85-7682-594-4
Avaliação: ★★★
Sinopse: Em "Amazônia, Um Caminho Para o Sonho", os personagens são de Ascurra e em busca de uma mudança na vida, partem para a maior Floresta Tropical Úmida do Mundo. Da majestosa Manaus dos Barões da borracha, passando pela festeira Parintins, subindo o rio Tapajós ao encontro de Fordlândia- a cidade americana construída em meio à selva até a Belém dos índios Tupinambás que observaram a chegada dos conquistadores na Baía. Eles precisarão se adaptar e encarar realidades diferentes. Irão conhecer muito dos pontos turísticos e também da história da região norte do Brasil. É um livro que traz muita informação histórica e de uma maneira sutil vai-se apresentando os personagens e a trama.
O livro "Amazônia - Um Caminho Para o Sonho" conta a história de quatro jovens amigas (Rafaela, Camila, Joana e Ana Carolina) que saem de sua zona de conforto em Ascurra (Santa Catarina) e embarcam numa boa e emocionante viagem turística à Amazônia Brasileira - como o nome do livro já sugere - desfrutando tudo de mais belo que exista ali. Elas estão acompanhadas por Daniel, tio de Joana que é professor de história e decide as seguir para aprimorar seus conhecimentos sobre o país.

Assim como ele, cada uma das amigas tinham seus motivos e objetivos próprios que impulsionaram essa viagem. O primeiro destaque perceptível foi a atração que Rafaela apresentou pelo tio de sua amiga, Daniel. Devido a longa diferença de idade, ela tenta não alimentar esse sentimento, mesmo achando que pode ser reciproco. Mas será mesmo que ele sente algo por ela? "Jogo que segue". Depois, a conjuntura de não haver um personagem principal de fato.

Apesar de muito parecidas, as amigas tem características marcantes em suas personalidades que são bem abordadas, trabalhadas e exploradas pela autora durante a trama. Rafaela, é a sonhadora. O que a motivou embarcar nessa viagem foi a busca por inspiração para escrever seu livro, o maior sonho de sua vida. Apesar de focada em seus objetivos, tem o medo como seu calcanhar de Aquiles. Ana Carolina é politicamente correta, sempre preocupada com o próximo. Pode-se dizer que ela é a "psicologa" particular da turma. Joana é mais pés no chão e inteligente das quatro. Viu seus pais morrerem num acidente e passou a morar com seu tio. Mas, confesso que delas, Camila é a minha favorita. Divertida, aventureira, dorminhoca, deu o ar irônico e engraçado da história. Confesso também que fiquei vidrado na história de Fordlândia, como tudo começou até como está atualmente. Foi a "parada histórica" deles que mais me agradou.
As derrotas fazem parte da vida humana. Todos que colocavam seus sonhos em prática corriam o risco de perde tudo se não fizessem da forma certa.
Página 172
Perceptível e indiscutivelmente Jachnkee demonstrou total conhecimento sobre a Amazônia, de suas crenças e costumes à aspectos físicos do ambiente da região, o que enriqueceu e estruturou bastante o enredo.  Apesar de ter gostado da história, alguns detalhes me desagradaram. Primeiro, alguns diálogos mecânicos de mais, como se houvessem sido ensaiados e/ou esquematizados. Depois o desfecho, que faltou aquele algo a mais, algo impactante, por assim dizer. Fatores não tão fortes assim que venham diminuir o livro, mas que poderiam serem melhor tratados. A propósito, um segundo livro pra série vem por ai, dessa vez tratando da história Inca!

Num enredo que trata muito o âmbito social, Amazônia é um livro que facilmente poderia ser aplicado nas escolas. Uma viagem histórica sem sair do lugar! 

Skoob
Fã Page
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...