27 de abril de 2013

Saturday's Quotes #5

Políticos e fraldas devem ser trocados de tempos em tempos pelo mesmo motivo.”
Eça de Queiroz
A gargalhada é o sol que varre o inverno do rosto humano.”

Victor Hugo
Quanto mais sublimes forem as verdades mais prudência exige o seu uso; senão, de um dia para o outro, transformam-se em lugares comuns e as pessoas nunca mais acreditam nelas.”
Nikolai Gógol
Aquele que lê maus livros não leva vantagem sobre aquele que não lê livro nenhum.”
Mark Twain
Ninguém pode ser sábio de estômago vazio.”

George Eliot

23 de abril de 2013

Memes e Tags #4


Com um certo atraso, hoje venho postar alguns memes e tags para qual o Cantina do Livro foi indicado. Primeiramente o meme indicado pelo blog da Cibele Carvalho, "O Marca Páginas" e em sequencia a tag indicada pelo Rodrigo Caldas do "Clube dos Viciados em Livros e Filmes", ambos parceiros do blog. 

17 de abril de 2013

Resenha: O Guia do Mochileiro das Galáxias

Título Original: O Guia do Mochileiro das Galáxias (The Hitchhiker's Guide to the Galaxy)
Série: The Hitchhiker's Guide to the Galaxy
Editora: Sextante
Autor: Douglas Adams
ISBN: 978-85-99296-57-8
Ano Lançamento: 1978
Ano Edição: 2004
Número de páginas: 204
Avaliação: ★★★★ 
Sinopse: Arthur Dent tem sua casa e seu planeta (sim, a Terra) destruídos em um mesmo dia, e parte pela galáxia com seu amigo Ford, que acaba de revelar que na verdade nasceu em um pequeno planeta perto de Betelgeuse. Este é o primeiro título da famosa série escrita por Douglas Adams, que conta as aventuras espaciais do inglês Arthur Dent e de seu amigo Ford Prefect. A dupla escapa da destruição da Terra pegando carona numa nave alienígena, graças aos conhecimentos de Prefect, um E.T. que vivia disfarçado de ator desempregado enquanto fazia pesquisa de campo para a nova edição do Guia do Mochileiro das Galáxias, o melhor guia de viagens interplanetário. Mestre da sátira, Douglas Adams cria personagens inesquecíveis e situações mirabolantes para debochar da burocracia, dos políticos, da "alta cultura" e de diversas instituições atuais. Seu livro, que trata em última instância da busca do sentido da vida, não só diverte como também faz pensar.

 Arthur Dent se prepara para mais um "bela" quinta-feira na sua "bela" rotina. Mas é durante seu café da manhã que ele percebe que nada pode ser tão belo que não seja melhorado (tenham isso como uma ironia). No mesmo dia ele vê sua casa ser demolida e a Terra ser destruída. Para sua sorte, ele sobrevive graças ao seu amigo  Ford Prefect que pega carona na nave Vogon. Na verdade Ford Prefect não é terráqueo e nasceu num planeta perto de Betelgeuse. Para quem não sabe os Vogons são seres conhecidos por serem burocráticos, inteligentes, feios (de mais) e incapacidade extrema de escreve poesias (só não digam isso para eles) 
Aqui fala Prostetnic Vogon Jeltz, do Conselho de Planejamento do Hiperespaço Galáctico. Como todos vocês certamente já sabem, os planos para o desenvolvimento das regiões periféricas da Galáxia exigem a construção de uma via expressa hiperespacial que passa pelo seu sistema estelar e infelizmente o seu planeta é um dos que terão de ser demolidos. O processo levará pouco menos de dois minutos terrestres. Obrigado.
Página 43

  É, já no universo, que ele conhece O Guia do Mochileiro das Galáxias, o livro mais completo que há em todo universo e tudo mais e o melhor guia de viagens interplanetário. O livro era publicado sob a forma de um micro componente eletrônico submerso porque, se fosse impresso de forma convencional, um mochileiro interestelar iria precisar de diversos prédios desconfortavelmente grandes para acomodar sua biblioteca. Na sua capa trazia em letras grandes e destacadas a frase: NÃO ENTRE EM PÂNICO! (Don't Panic!)

 Não muito longe dali está Zaphod Beeblebrox, o presidente da galáxia que, num ataque de grandeza rouba a nave Coração de Ouro, que é movida por um Gerador de Improbabilidade Infinita. Junto com ele está Tricia McMillan, uma terráquea que Zaphod havia "sequestrado" de Arthur numa festa. Devido essa improbabilidade que a nave salva Arthur e Ford da morte, no último segundo que aparentemente os restavam.

 Essa é a segunda vez que leio por completo o primeiro volume de "O Guia do Mochileiro das Galáxias". Um livro fantástico e envolvente. Arthur Dent é o exemplo perfeito de uma pessoa que acordou com pé esquerdo (perdoem-me canhotos — eu). Tanto sua casa quanto a Terra foram destruídas com a mesma perspectiva: estavam onde não deviam e consequentemente, Arthur também. A ironia e o bom humor prevalece nas páginas do livro. A escrita altamente descritiva também favorecem a leitura e dificulta escrever a resenha.

Ótimo livro, principalmente para quem gosta de uma boa ficção cientifica regada de uma linguagem nerd. A aventura está só começando... Ah, não esqueça a sua toalha!

12 de abril de 2013

Top 5: Piores Finais


Quem nunca teve uma experiencia frustrante com o final de um livro que tinha tudo para dar certo? Pois é. Confesso que minhas últimas leituras tem (na maioria dos casos) caminhado para esse lado. Depois que terminei o livro "72 Horas Para Morrer", tentei recapitular alguns livros que tiveram finais decepcionantes e resolvi lista-los em mais um #TopFive do Cantina do Livro. Lembrando que por se tratarem de finais, evitei dizer um motivo tão claro por terem os escolhidos.

10 de abril de 2013

O Preço do Livro no Brasil

Ótima matéria feita pelo "Entrelinhas", programa Literário da TV Cultura que debateu o preço do livro no Brasil. A reportagem entrevistou editores e leitores para saber como se calcula o preço de capa dos livros, se ele é mesmo caro (argumento comum para justificar o baixo índice de leitura no país) e o que pesa na decisão de comprar ou não um livro. Vale a pena dar uma conferida:




Minha Opinião: 
Sim, os livros ainda são caros no Brasil, principalmente nas livrarias físicas. Diante disso, só nos resta recorrer para as comprar virtuais podendo até ser no site da própria livraria que vende o mesmo livro mais barato do que na loja ou até a opção dos e-Books, que pesa ainda mais no bolso, já que eles só divergem alguns (poucos) reais dos livros físicos. A solução é fazer SEMPRE uma boa pesquisa entre os mais diferentes sites e lojas antes de decidir em qual comprar. A par dessa matéria, uma pequena tabela comparativa que encontrei no site Pequeno Guru:

E vocês, acham abusivos ou justos os preços dos livros no Brasil? Comentem.  

5 de abril de 2013

Resenha: 72 Horas Para Morrer

Título Original: 72 Horas Para Morrer
Editora: Novo Século
Autor: Ricardo Ragazzo
ISBN: 978-85-7679-495-0
Ano: 2011
Número de páginas: 254
Avaliação: ★★★★

Sinopse: Pior do que conhecer um Serial Killer, é um Serial Killer conhecer você! “O Carro pertence à sua namorada.” Com essas palavras, Júlio Fontana, delegado da pacata cidade de Novo Salto, tem a vida transformada em um inferno. Pessoas próximas começam a ser brutalmente assassinadas, como parte de uma fria e sórdida vingança contra ele. Agora, Júlio terá que descobrir a identidade do responsável por esses crimes bárbaros, antes que sua única filha se torne o próximo nome riscado da lista. 72 Horas para Morrer é uma corrida frenética contra o tempo, que prenderá o leitor do início ao fim.

 Júlio Fontana é um delegado que viu sua vida virar de ponta-cabeça quando ao chegar do trabalho portando um buquê de flores para sua mulher, flagrou um homem fugindo pelado pelo quintal de sua casa. Ele, motivado pelos fatos ali presentes, expulsou a sua mulher de casa.   Ela sofre um acidente de carro e morre deixando a filha gerada daquele relacionamento: Laura. Anos após o ocorrido, Laura ainda culpa (mesmo que internamente) seu pai tanto pelo fim do casamento quanto pela morte da mãe. 

 Tudo caminhava dentro de sua normalidade em Novo Salto, até um telefonema mudaria tudo: O carro de sua atual namorada Agatha foi encontrado abandonado. A vítima, desaparecida. Logo vem a descoberta: Alguém, inimigo de Júlio, havia a sequestrado, torturado, e esquartejado-a da pior maneira possível  Mas antes de mata-la, um vídeo foi gravado no qual o sequestrador a obrigou a contar a novidade que causaria ainda mais pânico e tristeza em Júlio: ela estava grávida. Horas depois, outra pessoa ligada ao Fontana também morreria de maneira perversa, como uma marca do "vilão". 

 Nesse meio tempo, Laura conhece Miguel, o qual se apaixona a primeira vista. Normal? Sim, poderia ser se não fossem alguns "pequenos" fatores: Miguel tem idade para ser o pai (ou até mesmo avô) de Laura. E mais: é um ex-presidiário acusado de assassinato. Assassinato do primeiro amor de seu ex-amigo, Júlio. Porém, de acordo com o Padre Paulo, Miguel havia mudado totalmente. Estava buscando ser uma pessoa melhor e o próprio provaria isso para Júlio.
Mas o que é o amor senão o mais passageiro dos sentimentos? Dedicar-se a ele é tão inútil quanto tentar plantar algo no deserto. Cedo ou tarde o sentimento vai embora, deixando com a gente um tremendo vazio.
Página 229
Num suspense totalmente envolvente, impactante e de tirar o fôlego, 72 Horas Para Morrer caiu como uma luva. O enredo começa num ambiente típico de uma obra investigativa, aquela aura do suspense presente no ar, os personagens indecifráveis e misteriosos, etc. Quando a primeira morte ocorre, o livro prova que não seria como qualquer outro do gênero. Mortes no melhor estilo Seven ou Jogos Mortais (com direito ao "I wanna play a game"). 

 Júlio, o personagem central da trama fica um tanto desequilibrado psicologicamente com o que acontece ao seu redor, principalmente por todos os incidentes estarem diretamente ligados a ele. Afinal, porque alguém queria o atingir? Claro, inimigos de profissão ele tinha, até porque ele era um delegado, mas ele não lembrava de ninguém capaz de tamanha brutalidade. Por isso, o principal suspeito do Sr. Fontana era Miguel, mesmo todos discordando. Quanto a Laura, uma adolescente rebelde e várias vezes insuportável, típico personagem que você perde a paciência. 
A vingança move, alimenta, energiza [...] Uma amargura doce que dá sentido à vida. O ódio, diferente do amor, permanece conosco. Para sempre. Enquanto o amor é efêmero, o ódio enraíza na alma, modifica, transforma. Odiar, meus amigos, é a essência da vida!
Página 229
 Alguém pode perguntar, o livro é só maravilhas? Eu diria que não. Não sei quem já pode ler, mas eu achei alguns pontos previsíveis. Mas, se houve algo mais decepcionante em todas as 254 foi o desfecho. De fato, é sim surpreendente, mas não é o surpreendente que se espera num livro, mas sim aquele que você pensa: "acho que alguém se perdeu escrevendo essa história..." Achei meio ilógico com a realidade ali presente, o que me deixou verdadeiramente frustrado, já que cabia um final muito mais enérgico, sanguinário e/ou emocionante, no meu ponto de vista. No contexto geral, gostei bastante da trama que poderia entrar pro rol de 'favoritos', não fosse esse quesito citado acima. Indico veementemente! Literatura nacional de alto nível.

Review: 01/02/2014
PROMOÇÃO 

 O Cantina do Livro participa juntamente com os blogs Sybil's Page, Coolture News, Mundo Otaku, Coração de Tinta e Clube dos Viciados em Livros e Filmes do Booktour do Livro 72 Horas Para Morrer. Para concorrer um exemplar do livro + um livro surpresa, basta comentar nessa postagem e em seguida ir NESSE LINK e preencher o simples formulário. Portanto, não deixem de comentar.

Aos participantes, boa sorte!
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...