31 de março de 2013

Resenha: Mestre Gil de Ham

Título Original: Farmer Giles of Ham
Editora: Martins Fontes
Autor: J.R.R. Tolkien
ISBN: 9788533619128
Ano: 1947
Número de páginas: 142
Sinopse: História ambientada no vale do Tâmisa, na Inglaterra, num passado maravilhoso e distante, quando ainda existiam gigantes e dragões. Seu herói, Mestre Gil, é na realidade um fazendeiro totalmente desprovido de heroísmo, mas que, graças à boa sorte ganha enorme fortuna. Esta é mais uma das histórias de J. R. R. Tolkien que foi concebida com o objetivo de entreter seus filhos. Mas a história cresceu e se tornou mais sofisticada. Sua versão final é indicada para leitores de todas as idades que apreciem uma boa história, relatada com imaginação e bom-humor.


Aegidius Ahenobarbus Julius Agricola de Hammo ou apenas Mestre Gil de Ham morava numa pequena aldeia em Ham localizada na região central da Grã-Bretanha. Vivia na companhia de sua mulher e seu cão Garm, o qual não sabia falar o latim, apenas a língua popular da região. Sim, o cão falava.

 Certo dia, numa noite aparentemente calma como outra qualquer em Ham, apareceu um gigante vindo da região do Vasto Mundo, situada próximas as florestas e aos Montes Ermos. Ele era o maior e o mais robusto da região, destruidor e devastador de jardins. Perdido e distante de casa, o gigante terminou indo de encontro a fazenda do mestre Gil de Ham, onde encontrou comida (leia-se carneiros, vacas, etc). Mas aconteceu que Gil conseguiu  (por sorte ou por acaso) expulsar o gigante dali com seu bacamarte, fato que proporcionou ao fazendeiro popularidade e respeito na região. Logo, seu feito se espalhou pelo reino. Mas algo pior (e maior) estava por vir. 

 Mestre Gil de Ham é mais um dos vários livros do Tolkien publicados pelo mundo, porém ainda não tão conhecido como O Hobbit, Senhor dos Anéis e até o Silmarillion. Mas, nitidamente, o ambiente dessa estória em comparação aos outros livros do autor são divergentes, tendo em vista que é mais leve, dinâmica e divertida. Evita-se aquela aura pesada e tensa de cada página das tramas nas Terras Médias. O motivo é simples: Entretenimento para seus filhos. Quem teve oportunidade de ler viu ao final do "livro principal" os manuscritos, ou seja, a história contada nua e crua pelo autor. Diferentemente do que acontece quando se escreve uma resenha sobre qualquer que seja o livro, poderia tranquilamente revelar o final da história já que não é tão segredo assim e bem previsível, mas deixarei para quem tiver curiosidade em ler. Por fim, mais um grande livro do Mestre Tolkien que mesmo com simplicidade é capaz de encantar. 


7 comentários:

  1. Não sou muito fã das tramas criadas pelo autor... :\ coisa minha mesmo. Mas também fico abobalhada com a criatividade e com o universo que ele escreve... impressionante.

    Um abraço!
    http://universoliterario.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. É tá aí um livro do Tolkien que eu realmente não conhecia. Adorei saber que ele tem outra trama que parece ser tão legal! :D

    Um beijo,
    Luara - Estante Vertical

    ResponderExcluir
  3. Menino, nem que eu soubesse da existência desse livro de Tolkien O.O Realmente pouca gente conhece. Excelente post viu, muito informativo rsrsrs Adorei.

    Bjinhos

    ResponderExcluir
  4. Oi Carlos, adorei o post! Gosto bastante do autor e conheci esse título só recentemente, enquanto converçava com um amigo! Achei muito bacana saber mais a respeito da obra e ter assim mais noção do que esperar da leitura, vou adquirir o livro em breve!! Fiquei bem curiosa!! :}

    até mais!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É bem curto e vale a pena ler. Você vai gostar.

      Excluir
  5. Uma pergunta:. Esse livro é assim meio infantil?
    Nunca li Tolkien, mas pretendo ler O Silmarillion ainda este ano.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É infantil até porque não é tão pesado quanto os outros. A temática é mais leve.

      Excluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...