7 de fevereiro de 2013

Resenha: O Lado Bom da Vida

Título Original: The Silver Linings Playbook
Editora: Intrínseca
Autor: Matthew Quick
ISBN: 978-85-8057-277-3
Lançamento no Brasil: 2013
Número de páginas: 256
Sinopse: Pat Peoples, um ex-professor de história na casa dos 30 anos, acaba de sair de uma instituição psiquiátrica. Convencido de que passou apenas alguns meses naquele “lugar ruim”, Pat não se lembra do que o fez ir para lá. O que sabe é que Nikki, sua esposa, quis que ficassem um "tempo separados". Tentando recompor o quebra-cabeças de sua memória, agora repleta de lapsos, ele ainda precisa enfrentar uma realidade que não parece muito promissora. Com seu pai se recusando a falar com ele, sua esposa negando-se a aceitar revê-lo e seus amigos evitando comentar o que aconteceu antes de sua internação, Pat, agora um viciado em exercícios físicos, está determinado a reorganizar as coisas e reconquistar sua mulher, porque acredita em finais felizes e no lado bom da vida. À medida que seu passado aos poucos ressurge em sua memória, Pat começa a entender que "é melhor ser gentil que ter razão" e faz dessa convicção sua meta. Tendo a seu lado o excêntrico (mas competente) psiquiatra Dr. Patel e Tiffany, a irmã viúva de seu melhor amigo, Pat descobrirá que nem todos os finais são felizes, mas que sempre vale a pena tentar mais uma vez. Um livro comovente sobre um homem que acredita na felicidade, no amor e na esperança.
 O Lado Bom da Vida narra a tumultuada história de Pat Peoples, um ex-professor de história que volta para casa depois de passar uma temporada internado numa clínica psiquiátrica. O verdadeiro motivo de sua internação no "lugar ruim" (como Pat chama) é desconhecido por ele, tendo em vista que o próprio Pat não lembra dos acontecidos naquele fatídico dia.

 Disposto a mudar o rumo de sua  história e voltar para os braços da sua obsessão e então mulher Nikki, Pat se adéqua a uma nova filosofia de vida, procurando sempre ser uma pessoa melhor e gentil para si e para os outros, e até voltar a sua forma física anterior ao casamento (15 quilos a menos). Seu psiquiatra Dr. Pattel, passa a ser o seu grande amigo e conselheiro, sendo este uma das poucas pessoas a qual Pat confia seus "segredos".

 Foi num jantar com Ronnie que ele conheceu a cunhada do seu amigo, Tiffany Maxwell que também recebia tratamentos psiquiátricos, principalmente depois da morte de seu marido, fato que até os dias de hoje ela ainda tem remorso e sentimento de culpa. Logo uma inevitável louca e estranha amizade entre os dois surge.

 O alvoroço crítico causado sob o livro foi o principal fator que me influenciou a correr para lê-lo (até porque queria ler antes de assistir o filme). Pat é um personagem carismático, confuso e visivelmente esforçado, batalhando sempre pelos seus objetivos. Fé, otimismo, vontade e perseverança são mensagens veementemente expressas pelo autor no transcorrer das páginas. Porém, não convenceu e nem surpreendeu. O drama não foge dos tradicionais clichês, o que torna o livro totalmente previsível e as vezes cansativo. Os verdadeiros motivos para Pat ser internado no "lugar ruim" ficam expostos apenas no final do livro, talvez, numa tentativa de trazer uma expectativa, apreensão e suspense, o que também não funcionou. Claro, a estória não é de todo ruim. Há os momentos divertidos (no modo Pat de ser) entre ele e seus familiares e amigos (EAGLES, aaaaaaaaaaah - Uma das frases marcantes, para quem já leu).

 Aparentemente essa resenha é mais "destrutiva" do que critica, mas não é. Mesmo evidenciando os pontos negativos do enredo, posso garantir que "O lado bom da vida" é um livro que merece ser lido, até por que meu ponto de vista pode e deverá ser totalmente diferente do seu. Numa nota rápida, pela primeira vez me envolvi mais num filme do que em seu livro adaptado. Portanto, também fica a dica.

Avaliação: 

8 comentários:

  1. Oi, interessante seu ponto de vistas, até em relação a essa questão de envolver-se mais com o filme do que a obra. Não li o livro nem assisto ao filme, então não dá para opinar.
    Beijinhos
    http://marlicarmenescritora.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Ah, gostei muito da sua resenha. Todo livro tem o seu ponto negativo e pontos de vista nunca são os mesmo né. Achei super interessante e muito bem escrita a sua resenha. Continuo louca para conhecer Pat.

    http://www.ilusoesnoturnas.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Carlos, não sei quando poderei ler este livro, por isso resolvi ver o filme... falando a respeito, eu não o achei nada demais. Tem partes bem divertidas, e no geral é gostosinho de ser visto, mas assim como no livro, é um pouco previsível e enfadonho. Os atores ajudam bastante, e apesar de tudo, também merece ser visto. Enfim... gostei da sua resenha. Acho que teria basicamente a mesma opinião que a sua. ;)

    Um abraço!
    http://universoliterario.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  4. Ótima resenha.
    Meu interesse pra ler esse livro nunca foi tão grande, exatamente parecer tão clichê. Mas quero assistir ao filme só pra ver porque a Jennifer foi indicada ao Oscar.

    Beijos!
    http://printmundi.blogspot.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acho difícil ela não ganhar o Oscar. Minha favorita das indicadas de melhor atriz.

      Excluir
  5. Olá Carlos, estou doida para ler esse livro e ansiosa para ver o filme! Sua resenha está ótima, você é a primeira pessoa que não gostou tato assim do livro! Até me surpreendi!
    Sua opinião sobre o livro está bem clara e fez com que aumentasse a minha vontade de ler o livro!
    Otima resenha!!

    Beijos
    http://lovesbooksandcupcakes.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Eu li esse livro começo do ano e me arrastei pelas páginas. Pra mim, as últimas 10 páginas foram o que salvou o livro. :/

    Beijos,

    Raquel Moritz
    http://pipocamusical.com.br
    http://facebook.com/pipocamusical

    ResponderExcluir
  7. Eu realmente gostei da resenha é uma breve, mas claro o suficiente. A história eu achei muito bom, bem executar um script, engraçado e inteligente. Abotoaduras entre Jennifer Lawrence e Bradley Cooper me espanta, posso dizer que é um dos melhores filmes de drama Cooper. Atuações ótimas até mesmo dos coadjuvantes Robert De Niro e Jacki Weaver estão ótimos. Uma ótima historia, madura, diferente de todas essas comedias dramáticas/românticas. Vale muito apena acompanhar.

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...