26 de dezembro de 2012

Resenha: Jogador Numero 1

Título Original: Ready Play One
Editora: LeYa
Autor: Ernest Cline
ISBN: 978-85-8044-268-7
Ano: 2011
Número de páginas: 464

Sinopse: Cinco estranhos e uma coisa em comum: a caça ao tesouro. Achar as pistas nesta guerra definirá o destino da humanidade. Em um futuro não muito distante, as pessoas abriram mão da vida real para viver em uma plataforma chamada Oasis. Neste mundo distópico, pistas são deixadas pelo criador do programa e quem achá-las herdará toda a sua fortuna. Como a maior parte da humanidade, o jovem Wade Watts escapa de sua miséria em Oasis. Mas ter achado a primeira pista para o tesouro deixou sua vida bastante complicada. De repente, parece que o mundo inteiro acompanha seus passos, e outros competidores se juntam à caçada. Só ele sabe onde encontrar as outras pistas: filmes, séries e músicas de uma época que o mundo era um bom lugar para viver. Para Wade, o que resta é vencer – pois esta é a única chance de sobrevivência. A vida, os perigos, e o amor agora estão mais reais do que nunca.
 Sabe aquela sensação de que aquela livro foi feito especialmente para você? Pois Ernest Cline ganhou todo meu respeito depois desse livro.

 Num futuro não tão distante (mais precisamente em 2044), o mundo está totalmente em caos. Crises energéticas, mudanças drásticas e catastróficas climáticas, fome, guerra, doenças, pobreza, etc. A Gregarious Simulation System (GSS - Antiga Gregarious Games) havia criado o OASIS, um famoso jogo online de MMORPG (Massively multiplayer online role-playing game - Jogos Online para Múltiplos Jogadores) que se tornou a válvula de escape para as pessoas fugirem da realidade. Logo o OASIS se transformou na realidade virtual mundialmente difundida e utilizada por quase todas a população. Não há necessidade de ir a escola ou ao trabalho, fisicamente falando. Basta acessar sua conta OASIS para isso.
Antes do OASIS, os jogos on-line de múltiplos jogadores estavam entre os primeiros ambientes sintéticos compartilhados. Eles permitiam que milhares de jogadores coexistissem simultaneamente dentro de um mundo simulado, ao qual se conectavam a internet. O tamanho geral desses ambientes era realmente pequeno, em geral, um mundo único ou uma dezena de pequenos planetas. O OASIS continha centenas (e às vezes milhares) de mundos em alta resolução 3D para as pessoas explorarem, e casa um deles era organizado com detalhes gráficos meticulosos, com insetos, folhas, grama, vento e padrões de clima. Os usuários podiam se mover por esses planetas e nunca ver o mesmo terreno duas vezes. Mesmo em sua versão mais primitiva, o escopo da simulação era assombroso
Página 76
James Halliday era o dono desse esplendoroso mundo. Era, pois ele havia morrido. Como não tinha herdeiros, Halliday decidiu deixar toda sua herança como também "seu trono" na GSS para aquele que conseguisse achar um Easter Egg, um ovo escondido (e muito bem escondido) no jogo. Uma busca desenfreada pela caça ao ovo estourou no mundo. A IOI (Innovative Online Industries) uma empresa de comunicações multinacional que há tempos tenta dominar a GSS, monopolizando o acesso ao OASIS, passando a cobrar taxas mensais de acesso à simulação. Pretendia também acabar com o anonimato e a liberdade de expressão.

Anos se passam e nenhum sinal do ovo aparece. Alguns chegam a acreditar que o testamento é uma mera piada. Eis que entra em cena Wade Watts, ou Parzival como era conhecido no mundo virtual real. um garoto pobre e orfão, que havia sido criado pela tia e se torna um dos obcecados em achar o item raro. Fã assíduo de Halliday, o garoto sabia que para conseguir o seu ideal, teria que conhecer o patrono do OASIS mais que a si mesmo. O pacato garoto consegue encontrar a primeira pista do ovo, ou no caso a Chave de Cobre. Parzival juntamente a Art3mis, Shoto, Daito, Aech, e os Seis (nome dado pelos caça-ovo aos agentes da IOI que tentavam a qualquer custo acha-lo) são os primeiros a desvendar o mistério do primeiro enigma. Mas junto com a fama, os perigos da vida real vem consigo. A guerra entre vida real e virtual estava iniciada!

Jogador Numero 1 é a verdadeira homenagem ao universo Geek. Baseado na cultura pop dos anos 80 e 90, o livro nos trás de volta grandes clássicos como Atari, jogos como o Joust e Dungeons of Daggorath e filmes como Star Wars, Ultraman, Star Trek, etc. O sentimento ao final do livro é de total felicidade e vontade de lê-lo novamente (sério, estou quase fazendo isso). Ainda vejo-me perdido no OASIS juntamente com Parzival em suas grandes missões. Vale dizer que li as mais de 400 páginas em 3 dias! Talvez pra quem não esteja tão envolvido com os filmes, jogos, séries, músicas, etc citados no livro, fique um tanto perdido, o que é absolutamente normal. Alta e completamente indicado aos Geeks de plantão. Para finalizar a noticia: O livro irá tornar-se um filme da Warner, com expectativas de ser o novo "Avatar" (em termos de sucesso). Claro, estarei lá.

Avaliação:

8 comentários:

  1. Oi Carlos, tudo bom?
    Faz tempo que você fala desse livro que quando vi que tinhas resenhado, corri aqui rs'
    Gostei da temática do livro, e confesso que fiquei com uma leve vontade de lê-lo hahaha'

    Beijocas
    paixaoliteraria.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Toda expectativa valeu a pena. Muito bom mesmo!

      Excluir
  2. Oii Carlos *-* Só vejo resenhas ótimas desse livro! Deve ser muito bom mesmo! E sei como é essa sensação de ler um livro assim em poucos dias *-*
    Adorei sua resenha!
    beijos

    http://www.leitorapaixonada19.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É otimo, principalmente pra quem conhece os filmes, jogos, etc, citados no livro.

      Excluir
  3. Esse foi um dos melhores livros que eu li no ano, se não foi O melhor.
    Eu amei cada pedacinho dele e como você, o li super rápido. :)

    Um beijo,
    Luara - Estante Vertical

    ResponderExcluir
  4. Olá *_*

    Apesar da capa ser horrível [minha opinião] parece bom mesmo, e todo mundo falando bem, dá vontade de correr e ler logo \o/

    Desculpe não estar comentando sempre, meu TCC tá me deixando louca, mas brevemente eu regularizo as visitas, flor.

    Bjinhos

    ResponderExcluir
  5. muito interessante, parabéns pelo blog eu adorei
    http://snestalgia.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  6. É tão bom quando um livro consegue deixar a gente tão imerso no universo dele que mesmo depois de terminada a leitura não conseguimos largar dele, eu entendo perfeitamente o que está sentindo. Depois que li A Hospedeira eu fiquei mais receptível aos livros de ficção de científica (que não era um gênero que me atraía muito), e como sempre leio opiniões positivas sobre este aqui já coloquei ele na minha meta de leitura.
    Abraços.

    http://viciadoemlivrosefilmes.blogspot.com/

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...