28 de novembro de 2012

Resenha: O Retorno do Jovem Príncipe

Título/Título Original: O Retorno do Jovem Príncipe (The Return of The Young Prince)
Editora: Fontanar
Autor: A.G. Roemmers
ISBN: 978-85-390-0312-9
Ano da Edição: 2012
Número de páginas: 112
Sinopse: Ao viajar sozinho no vazio da Patagônia, um homem maduro encontra um adolescente desacordado e o socorre. Quando o rapaz acorda, o homem percebe que não se trata de um jovem qualquer, mas de um famoso príncipe que cresceu e resolveu revisitar o planeta Terra. Os dois viajantes embarcam num diálogo denso que aborda as grandes questões existenciais. Assim, a viagem de carro se transforma em uma autêntica trajetória espiritual, que abrange a transição da inocência à maturidade, do cotidiano ao transcendente e da tristeza à alegria.
  Quando Antoine de Saint-Exupéry propôs ao final do livro O Pequeno Príncipe "Se então um menino vem ao encontro de vocês, se ele ri, se tem cabelos de ouro, se não responde quando interrogam, adivinharão quem é. Então, por favor, não me deixem tão triste: Escrevam-me depressa que ele voltou", não demoraria a alguém reencontrar-lo de fato. Foi exatamente o que aconteceu em O Retorno do Jovem Príncipe. 

 O Narrador do livro vagava sozinho e a esmo de carro numa estrada da Patagônia quando avistou um jovem largado no meio daquele local, solitário, indefeso, sem água ou comida. Os fatos presentes fizeram ele propor uma carona ao garoto. Pouco tempo depois ele percebem de quem tratava-se. 

 Havia um expectativa enorme de minha parte para a leitura desse livro. Porém, a decepção ao final foi proporcional (ou maior) que a expectativa inicial. Não que a história seja ruim ou sem proposta, mas nem de longe compara-se à simplicidade e esplendor da "obra original". 
"Desconfie daqueles que destroem seus sonhos com a desculpa de que estão lhe fazendo um favor, porque geralmente eles não têm nada para oferecer em troca!"
Página 44
 Lições de vida e amor com um toque de inocência presentes na narrativa preservam o aspecto notável no livro "muso inspirador" de Roemmers. Trechos altamente reflexivos também chamaram minha atenção. Dentre os aspectos negativos, o livro deixa uma eminente sensação de um livro auto-ajuda, que se mescla entre psicologia, filosofia e religião (se isso é possível) além de parecer um desabafo do autor para com o mundo atual. O decorrer do livro em um certo momento ficou cansativo e até chato. O final deixou a desejar também. 

 Talvez você não ache tão ruim como foi à mim, levando em conta a minha expectativa em torno dele. Por isso aos fãs/admiradores do garoto dos cabelos dourados, fica a dica do livro (a quem tiver a curiosidade).  

Avaliação: 
Entre 2 e 3 estrelas*

4 comentários:

  1. Oi Carlos!
    Obrigada por sempre comentar lá no MP, fico feliz!

    Bom, eu nunca li O pequeno príncipe, mas todo mundo fala muito bem. E esse, estou conhecendo agora.

    Bjinhos
    http://omarcapaginas.blogspot.com.br

    P.S.: gostaria de uma parceria entre blogs? eu sempre mantenho os comentários atualizados nos parceiros.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. De nada, sempre passo por lá.
      Sobre a parceria, respondi em seu blog =]

      Excluir
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  3. Quem nunca se apaixonou pela clássica história do 'Pequeno Príncipe' e seu planeta de amor? rs
    Não sabia que existia uma sequência extra-oficial! Agora estou doidinho pra ler!
    Abraço,
    Vinícius - Livros e Rabiscos

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...