12 de outubro de 2012

Resenha: As Crônicas de Nárnia: O Sobrinho do Mago

Título/Título Original: O Sobrinho do Mago (The Magician's Nephew)
Série: As Crônicas de Nárnia (The Chronicles of Narnia)
Editora: Martins Fontes
Autor: C.S. Lewis
ISBN: 978-85-7827-069-8
Ano Lançamento: 1955
Ano Edição: 2011
Número de páginas: 98 (apenas o livro "O sobrinho do mago" - Volume Único)
Avaliação: ★★★★
Sinopse: A aventura começa quando Digory e Polly vão parar no gabinete secreto do excêntrico tio André. Ludibriada por ele, Polly toca o anel mágico e desaparece.
Digory, aterrorizado, decide partir imediatamente em busca da amiga no Outro Mundo. Lá ele encontra Polly e, juntos, ouvem Aslam cantar sua canção ao criar o mundo encantado de Nárnia, repleto de sol, árvores, flores, relva e animais.


Rewiew: 25/01/2014



 Apesar de "O Sobrinho do Mago" ser o primeiro livro da série "As Crônicas de Nárnia", foi o penúltimo a ser publicado por Lewis e conta como de fato tudo acerca de Nárnia foi originado.

 A história começa a amizade de Polly Plummer e Digory Kirke, com onze e doze anos de idade, respectivamente. Digory foi morar em Londres com seus tios Leta e André Ketterley, já que sua mãe está doente e eles passaram a cuidar da saúde dela.

 Buscando aventuras, os garotos resolvem invadir uma casa vizinha e logo descobrem uma passagem secreta que leva diretamente para a casa do próprio Digory. Chegando lá, encontram o tio André, um velho misterioso, com aura de louco, alto, magro e com expressão de desânimo, como descrito pelo seu sobrinho no início da trama.

"— Seu tio é mesmo doido?
— Ou é doido ou então há um mistério nisso."
Parte do diálogo entre Polly e Digory, Página 12 
 Polly e Digory encontram dois anéis (dois amarelos e dois verdes) naquela sala. Logo, são surpreendidos pelo miraculoso tio, que estava ali presente. Seduzida pelo maravilhoso brilho dos anéis e pela proposta do tio para levar um dos amarelos, Polly termina indo parar no "Bosque Entre os Mundos". Percebendo que o "mago" André havia feito, Digory descobre (até então) que os anéis levavam para "um outro mundo" e os verdes o traziam de volta.

 Chegando em Charn (sim, esse é o nome do tal outro mundo), dessa vez foi Digory a ser seduzido por uma placa que o fez tocar um sino e despertar a feiticeira Jadis (a mesma Feiticeira Branca, para quem leu/assistiu "o leão, a feiticeira, e o guarda-roupa"). A partir daí a história encorpa-se e revela uma aventura  de fantasia incrível e bem elaborada.
Ousado aventureiro, decida de uma vez:
Faça o sino vibrar e aguarde o perigo
Ou acabe louco de tanto pensar:
"Se eu tivesse tocado, o que teria acontecido?"
Página 33
 A aparição de Aslam num ponto crucial da história revela como e o que aconteceu ante, durante e depois a criação de Nárnia. A sequencia disso muitos de vocês já podem conhecer, principalmente pela série cinematográfica. Vale ressaltar que esse livro será adaptado como o quarto filme do seguimento. 

 Assim como muitos outros leitores e/ou fãs das Crônicas de Nárnia, defendo a tese que "O Sobrinho do Mago" deve ser lido seguindo a ordem cronológica e não sua própria ordem de publicação. Mas deve-se levar em consideração, já que pode ser que não interfira na leitura da obra seguir a ordem de publicação. 

14 comentários:

  1. Que linda resenha! Ainda não li as Crônicas de Nárnia. É mais uma série que está na minha lista faz tempo. Vontade não me falta, mas a a fila esperando na estante é grande. :)
    Beijo.

    http://navirj.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  2. Nunca li. Destas séries da moda, gosto só do Game of Thrones.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mas nárnia não é "da moda". Faz sucesso desde a década de 1950. Mas ok.

      Excluir
  3. Nunca li mas morro de vontade! Parabéns pela resenha!!

    Espero sua visita

    anteontemmusical.blogspot.com


    bjss!!

    ResponderExcluir
  4. Oie,
    Não li nenhum dos livros das cronias, mas os filmes são bons, então não tenho duvidas que o livro tb é. Adorei sua resenha

    http://blog.vanessasueroz.com.br

    ResponderExcluir
  5. Carlos, acredita que eu nunca tive vontade de ler As Crônicas de Nárnia? Mesmo tudo mundo comentando que é ótimo e que vale a pena ser lido... vai vê que é por isso que eu nunca tive interesse em ver os filmes (?). Mas, olha, adorei sua resenha. Vou cogitar a ideia de expandir minha leitura e passar a conferir essa série. ;)

    Um abraço!
    http://universoliterario.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nem os filmes? Tá perdendo tempo Francielle.

      Excluir
  6. Comprei o livro único na submarino (não resisti, ele estava por dez reais) e até hoje não tive tempo pra ler ainda. ):
    Já comecei a ler o da minha amiga uma vez na escola, mas o meu mesmo nunca comecei. Eu assisti os filmes e adorei.

    Coral,
    http://universeforwords.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Realmente, tem que ter tempo pra encarar as 700 e tantas páginas.

      Excluir
  7. é eu espero fazer issso na minha semana de folgaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa............................................. aeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeee
    bjosss parabens pelo crescimento do blog eimmmmmmm te meteeee

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. husahdusdha, Obrigado Domino =] Vai lendo aos poucos, merece.

      Excluir
  8. Adorei esse primeiro livro! E a resenha foi muito bem feita, viu? Parabéns!
    Eu estava muito acostumada com séries mais maduras e foi bom ler Nárnia, na época. Desde essa experiencia, nunca mais abandonei os livros infanto-juvenis, eles são muito importantes para descontrair o "clima" deixado por livros mais pesados. E porque são bons mesmo!


    Beijos, Lê
    http://palaciodelivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...