18 de setembro de 2012

Resenha: Homem-Máquina

Título/Título Original: Homem-Máquina (Machine Man)
Editora: Intrínseca
Autor: Max Barry
ISBN: 978-85-8057-237-7
Ano: 2012
Número de páginas: 284
Sinopse: Charles Neumann é engenheiro e trabalha em um sofisticado laboratório de pesquisas. Ele não tem amigos ou qualquer tipo de habilidade social, mas ama máquinas e tecnologia. Por isso, quando perde uma das pernas em um acidente de trabalho, Charlie não encara a situação como uma tragédia, mas como uma oportunidade. Ele sempre achou que o frágil corpo humano poderia ser aperfeiçoado, e então decide colocar em prática algumas ideias. E começa a construir partes. Partes mecânicas. Partes melhores. A especialista em próteses Lola Shanks é apaixonada por membros e órgãos artificiais. Quando conhece Charlie, ela fica fascinada por ter encontrado um homem que parece capaz de produzir um corpo totalmente mecânico. Mas as outras pessoas acham que ele é um louco. Ou um produto. Ou uma arma. Em uma sátira sobre como a sociedade se tornou tão dependente da tecnologia, Homem-Máquina narra a estranha e divertida jornada de um homem em busca de aprimoramento.

A história de Max Barry começou a ser desenvolvida quando ele passou a postar páginas do livro em seu website durante nove meses, onde os leitores poderiam comentar e sugerir novas ideias para a história.

Charles Neumann, um engenheiro que trabalha na empresa Futuro Melhor, é um apaixonado pela tecnologia (principalmente máquinas). Quando, em um acidente de trabalho na busca pelo seu aparelho celular "perdido", ele perde parte de sua perna, Dr. Neumann não encara isso como uma tragédia (fora o impacto inicial), mas sim uma chance de aprimorar o limitado e frágil corpo humano.

É nesse ambiente que ele depara-se com Lola Shanks, uma especialista em prótese que ajudou Charles na sua recuperação inicial. Diante da ideia da "Perna Melhor" do engenheiro, Lola embarca de cabeça na ideia tornando-se sua principal aliada, por assim dizer.

Visando uma lucratividade futura, a Futuro Melhor passa a incentivar a criação dos Membros Melhores de Dr. Neumann que estava disposto a propiciar essas invenções. Em busca de melhorar o desempenho da sua Perna Melhor, Charles resolve virar cobaia de si mesmo, amputando propositalmente sua outra perna, de forma semelhante a quando perdeu sua primeira.
Se a história de Max leva um pequeno teor de drama, ele foca essencialmente ao humor, ao social e a ironia. Visivelmente o autor deixa transparecer o momento atual e futuro de uma sociedade a cada dia mais dependente exclusivamente da tecnologia. No âmbito social, Charles é o oposto. Um renomado engenheiro que não consegue criar nenhum laço gregário a qualquer pessoa. Não temo dizer que, até por dividir ambições e gostos parecidos, Lola é a unica pessoa "estranha" amigável de Neumann.

O enredo do livro que é completamente envolvente e impactante inicialmente, apresentasse cansativo e exagerado a partir de um certo momento, mesmo sabendo que essas hipérboles são a essência do história. Não saberia saber dizer se foi de forma intencional que o autor não deixou transparecer emoção e nexo (no sentido emoção da palavra) em momentos cruciais da história. Acredito que o excesso de expectativa gerada em prol dele prejudicou minha avaliação final.

Avaliação

6 comentários:

  1. Li o primeiro capítulo que a Intrínseca disponibilizou... achei as 10 primeiras linhas interessantes, o resto cansativo e mal escrito, o autor ia se atropelando entre os parágrafos. No final das contas ainda tenho curiosidade sobre a história, mas prefiro que alguém me disponibilize em e-book, porque comprar eu não compro não.

    Abraço.
    Elder F.
    O Epitáfio

    ResponderExcluir
  2. Carlos, acredita que não conhecia este livro? Embora eu o tenha achado interessante, no momento não me opção de leitura. Seus comentários também implicaram nisso... inclusive, muito bem articulados. Parabéns!

    Um abraço!
    http://universoliterario.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  3. Oi!
    Ainda não tinha ouvido falar deste livro, mas fiquei curiosa assim que vi um quote em seu post anterior. E agora vendo sua critica geral sobre Homem-Máquina, confesso que é um tanto decepcionante, pois parece que o personagem é totalmente frio.

    Danielle Reis
    http://blogdaninareis.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Oi, Carlos!
    A história do livro parece interessante, e bem inusitada, mas não despertou meu interesse. Sua resenha foi ótima!

    Abraços,
    Gabe
    http://desejosdesabado.blogspot.com.br

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...