12 de agosto de 2012

Resenha: A Menina Que Não Sabia Ler

Título/Título Original: A Menina Que Não Sabia Ler (Florence and Giles)
Editora: LeYa
Autora: John Harding
ISBN: 978-85-629-3611-1
Ano: 2010
Avaliação: ★★★★

Sinopse: Em uma distante e escura mansão, onde nada é o que parece, a pequena Florence é negligenciada pelo seu tutor e tio. Guardada como um brinquedo, a menina passa seus dias perambulando pelos corredores e inventando histórias que conta a si mesma, em uma rotina tediosa e desinteressante. Até que um dia Florence encontra a biblioteca proibida da mansão. E passa a devorar os livros em segredo.Mas existem mistérios naquela casa que jamais deveriam ser revelados. Quem eram seus pais? Por que Florence sonha sempre com uma misteriosa mulher ameaçando Giles, seu irmão caçula? O que esconde a srta. Taylor? E por que o tio a proibiu de ler? Florence precisa reunir todas as pistas possíveis e encontrar respostas que ajudem a defender o irmão e preservar sua paixão secreta pelos livros – únicos companheiros e confidentes – antes que alguém descubra quem ousou abrir as portas do mundo literário. Ou será que tudo isso não seria somente delírios de uma jovem com muita imaginação?
Review: 07/03/2014


  A história se passa na Inglaterra no ano de 1981. Florence, uma garota de doze ano e seu irmão Giles, quatro anos mais novo, vivem "abandonados" pelo seu tutor e tio, em uma mansão distante de tudo e todos e são criados pela governanta (Sra. Grouse) e alguns outros empregados contratados por ele, cujo Florence nunca conheceu pessoalmente. Por algum motivo, o tão distante tio, não permite que ela aprenda a ler.

  Carecida de valores morais e de convívio social, sem expectativas para o futuro, Florence encontra casualmente uma biblioteca dentro de sua própria casa passando esta a ser seu refúgio. Mergulhada no mundo literário, ela aprende a ler por si mesmo (autodidata), não esquecendo de manter seu mais novo segredo guardado a sete chaves. Enquanto isso, Giles, que havia sido mandato para um internato, foi "devolvido" por não conseguir adaptar-se ao convívio (Se é que pode-se resumir os motivos assim).

  O livro começa a ganhar um ar de suspense, a partir da segunda parte, onde Giles e Florence ganham uma nova preceptora: Srta. Taylor, uma mulher fria e cheia de segredos que pode fazer movimentar as engrenagens dos mistérios que se escondem naquela velha casa. Ela substitui a Srta. Whitaker, morta tragicamente.

Capa Original
  Posso dizer, sem medo de erra que John Harding acertou em cheio em suas escolhas. Primeiro ponto positivo do livro é o fato que a narradora da história é a própria Florence. Sendo assim, nós leitores só ficamos a par do que acontece com base no conhecimento dela. Fatos do passado que se desdobram no presente, transpassando os sentimentos de medo, angústia, mistério envolvidos num ar sombrio proporcionados por ela.

  Outro fato que chamou bastante minha atenção positivamente foi o fato de não termos certeza se o que ocorria no livro tratava-se de vida real ou mera imaginação de Florence. Mesmo depois de terminar a leitura, algumas incógnitas continuam vagando no ar.

 Li pela primeira vez o livro e não me cativou tanto (até pelo fato de ter acabado de ler "A menina que roubava livros", esperava algo de mesmo impacto) e até por isso resolvi reler. Hoje, dois anos depois da primeira leitura, a reviravolta do meu conceito perante ao livro é eminente. Florence e o desastroso Giles passaram a ser uma das minhas duplas de personagens preferidas, exatamente por suas respectivas características pessoais (não deixando os fatos finais do livro influenciar no resultado)

  O que pesou sobre o livro é o final. Algumas pontas soltas (por exemplo em relação ao tio, e principalmente sobre a Srta. Taylor e a Sra. Whitaker, o que aconteceu com seu "amor" Theo) não me agradaram tanto. Mas é a mente de uma garota não tão normal assim, logo levo isso em consideração. Para não spoilear (Shakespeareando, como diz a Florence - Criando palavras), não aprofundarei nessa conclusão. 

14 comentários:

  1. Nossaaa surpreendente... estas pontas eu encontrei num livro tbm que foi "as horas nuas" (esqueci nome da autora) e isso não me agradou em nada...
    pois isso tirou o melhor da historia o fim da historia na realidade, penso que não é mesmo caso deste livro, mas é algo que eu tbm me deparei e sei como pode ser frustrante em muitos momentos!

    ResponderExcluir
  2. Carlos, foi maravilhoso ler sua resenha majestosa de um dos meus livros favoritos. Maravilhoso porque relembrar as aventuras de Florence e Giles me deixaram arrepiada... é difícil um livro despertar tantas sensações como este. Há pessoas que não curtiram a leitura, mas quem sabe isso dependa muito do momento, como justamente aconteceu contigo... adorei!

    Um abraço!
    http://universoliterario.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Li 'A menina que não sabia ler' no começo deste ano, e confesso que foi-me uma surpresa. O fato é que na contra capa do livro há uma referência a Henry James, que apesar de eu não ter lido nada do autor, imaginava/imagino se tratar de um escritor de terror, assim como Poe, também citado na mesma contra capa.
    Comecei a ler o livro do Harding, e me deparei com uma narrativa bastante infantil, fato totalmente compreensível, uma vez que a protagonista trata-se de uma criança. Com o passar das páginas, percebi uma grata mudança na ambientação da história, o clima foi ficando cada vez mais sombrio e as situações estranhamente perversas. Enfim, gostei muito.
    E também adorei a resenha.

    ps: A capa inglesa é muito melhor.

    ResponderExcluir
  4. Li esse livro no começo do ano e nossa, como eu me surpreendi. O título não faz jus ao enredo, e por isso essa surpresa na hora de lê-lo.
    Eu curti bastante. :)

    Um beijo,
    Luara - Estante Vertical

    ResponderExcluir
  5. Já ouvi várias pessoas comentando sobre o livro e não havia me interessado.
    Porém, adorei sua resenha! Super bem escrita e me instigou a ler, de verdade! Vai entrar na minha lista!
    Parabéns pelo blog!
    Abraços!

    ResponderExcluir
  6. Oi!
    Durante todo o livro fiquei ansiosa pelo final, mas quando este finalmente chegou, não me agradou. O fato do autor ter misturado a realidade com a imaginação me deixou um pouco confusa e incerta sobre certos pormenores. Quem sabe se futuramente voltar a lê-lo não mudo de opinião?


    P.S: Prefiro tanto o título quanto a capa original.

    http://www.blogdaninareis.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  7. Pensei em ler esse livro varias vezes, mas o titulo acabava me desanimando(e tenho medo de compara-lo com a menina que roubava livros), pelo que voce falou a historia é diferente ne?!
    Agora fiquei com mais vontade de ler rs.

    bjoo

    Tati - Frases Rabiscadas

    ResponderExcluir
  8. Oi adorei.. muito obrigado, depois de ter lido sua resenha...me interessei pelo livro....mas vc já leu o livro reverso ... se trata de um livro arrebatador...ele coloca em cheque os maiores dogmas religiosos de todos os tempos.....e ainda inverte de forma brutal as teorias cientificas usando dilemas fantásticos; Além de revelar verdades sobre Jesus jamais mencionados na história.....acesse o link da livraria cultura e digite reverso...a capa do livro é linda ela traz o universo de fundo..
    www.livrariacultura.com.br/scripts/resenha/resenha.asp?

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...